Oficina Brasil


Troca técnica de compressor de ar-condicionado seguindo rigorosamente todos os procedimentos

A reparação do sistema de climatização necessita de profissionais treinados e que tenham sempre a visão do conjunto e não apenas de um componente, pois a troca de uma peça poderá ser comprometida por outra

Por José Martins Sanches

O compressor de ar-condicionado de veículos é lubrificado por um produto chamado PAG (poliaquilenoglicol) e uma boa parte do lubrificante não fica dentro do compressor e sim espalhado por todo o sistema. Este lubrificante é miscível ao fluido refrigerante, ou seja, quando o compressor bombeia gás refrigerante para o sistema este lubrificante aos poucos vai sendo arrastado pelo gás refrigerante e como é um ciclo fechado, acaba voltando para o compressor (imagem 1).

Quando compramos um compressor novo ele normalmente vem com lubrificante para todo o sistema, sendo assim se removermos o compressor do veículo e colocarmos um novo direto sem se atentar a isto, o sistema vai ficar com excesso de lubrificante e isto prejudica o funcionamento de todo o conjunto.

O Procedimento correto é remover todo o lubrificante do sistema para que o compressor trabalhe com 100% do lubrificante novo, pois o lubrificante que está no sistema normalmente se encontra deteriorado, com sua viscosidade e lubricidade comprometida.

Para remover este lubrificante velho devemos usar um procedimento chamado flushing, no qual são abertas as conexões de todos os componentes do sistema e é passado um produto chamado Dichlorofluoroethane (HCFC- R-141b), vamos chamá-lo simplesmente de 141B.

Ele pode vir em embalagem de 13,6 kg ou em tambores que podem variar de 30 a 250 kg, normalmente o mais usual é o de 30 kg (imagem 2).

Imagem 2

Para aplicarmos o 141B usamos uma garrafa aplicadora em que se coloca este produto dentro dela e com o uso do nitrogênio como propulsor passando por dentro dos componentes, diluindo e arrastando todo o lubrificante velho e resíduos de dentro dos mesmos.

Esta garrafa aplicadora tanto pode ser comprada como pode ser fabricada por nós mesmos com o uso de um cilindro usado que aguente trabalhar com uma pressão de aproximadamente de 250psi (imagem 3). 

Imagem 3

Muitos perguntam quanto de 141B se utiliza para fazer uma limpeza eficiente em um sistema de ar-condicionado e sempre dizemos: não temos a quantidade certa para isto, depende muito de quanto este sistema esta sujo, ou seja, tem que fazer o procedimento de flushing o quanto for necessário, até ele começar a sair como ele entrou na peça que você está limpando ou seja, límpido (transparente e sem limalhas de metal normalmente oriundas do compressor velho que quebrou no veículo).

Recomendamos que utilize um balde destes brancos com tampa e conecte uma mangueira na saída do componente em que esteja sendo efetuado a operação para que ao final dela possa fazer uma avaliação se precisa ou não fazer mais flushing (imagem 4). 

4A. Fazendo a limpeza de um condensador; 4B. Descartando o 141b com resíduos dentro de um balde branco; 4C. Dentro do balde podemos avaliar pelo produto que está saindo, se precisa ou não passar mais vezes. Como podemos ver este está bem sujo.

Em todas as peças que vão passar pelo o flushing, este deverá ser feito no sentido em que o refrigerante circula no sistema e no sentido contrário.

Temos de nos atentar ao evaporador, pois o correto é remover a válvula de expansão porque por mais alta a pressão que se injete o 141B, no sentido convencional de fluxo do refrigerante ela vai causar uma resistência à passagem do mesmo, não promovendo o arraste necessário para uma limpeza eficiente, e no sentido contrário de trabalho da válvula assim que a pressão atingir em torno de 60 psi ela se fecha e não deixa passar mais nada.

 Nos veículos de hoje, a grande maioria usa válvulas de expansão tipo Block e normalmente ela está instalada entre o habitáculo e o compartimento do motor e pode ser removida sem a remoção do painel,  mas a maioria dos sistemas antigos usava válvulas tipo T (termostática), que ficam instaladas dentro da caixa evaporadora tendo na maioria das vezes que remover o painel todo do veículo para se chegar a ela (imagem 5).

Imagem 5

Obs.: Alguns veículos podem conter válvula block e estar dentro da caixa evaporadora também.

O filtro secador nunca passa pelo processo de flushing, devendo ser sempre substituído por um novo na troca do compressor, pois o 141B dilui e arrasta todo o lubrificante velho do sistema, mas não dilui e tem dificuldade de remover a umidade.

Temos que tomar cuidado com os novos condensadores que temos nos veículos mais modernos, na maioria estão usando condensador com filtro secador embutido nele e para fazer o procedimento nesta peça devemos remover o elemento secante e o filtro (fig.6). E se o filtro for do tipo incorporado na tampa do alojamento, devemos cortar a tela filtrante e usar a mesma só como tampa (fig.7), para efetuar flushing e depois de completamente isento de lubrificante velho e limalhas de metal oriunda do compressor velho, devemos instalar um refil novo que contém um dissecante e um filtro novo.

 

Atenção leitores, o condensador é o primeiro que recebe toda sujeira proveniente do compressor, e nesta peça houve uma revolução tecnológica, eles são menores e mais eficientes em relação aos mais antigos em que normalmente se aproveitavam 100%, agora os orifícios por onde se passa o refrigerante são minúsculos, chegando a ter na sua secção 1,0 x 0,5 mm (imagem8).

 

Imagem 8

Normalmente estes orifícios ficam cheios de limalhas de metais enroscados dentro deles e como falamos no início temos de passar 141B nos componentes até não sair mais nenhum resíduos de limalhas e principalmente no condensador, passar bastante no sentido inverso ao convencional para que consiga remover toda limalha de metal presa nestes orifícios e de preferência usar pressões acima de 200 psi.

Na maioria das vezes, dependendo do valor do condensador novo, não compensa reutilizar pois já tivemos casos aqui na oficina que só para de sair limalhas de metal do interior depois de utilizar mais de 10 quilos de 141B no processo de flushing.

Obs.: para efetuar a limpeza neste tipo de condensadores, usar conexões fixas para permitir o uso de pressões acima de 200psi e mesmo assim nos dar segurança para o trabalho e sempre fazer uso de EPIs, (imagem 8)

Provavelmente não teremos condições de reutilizar mais o condensador, pois algumas montadoras já estão utilizando condensador com filtro incorporado selado, não tem mais a tampa para a troca do refil, vamos ter que trocar o condensador a cada troca de compressor ou quando o filtro estiver obstruído.

No caso de optarmos pela troca do compressor sem a realização do flushing é recomendado que pelos menos troquemos o filtro secador e devemos deixar dentro do compressor só o lubrificante destinado ao compressor e ao filtro secador que foi substituído, para isto deveremos quantificar quanto de lubrificante no compressor antigo tinha, que deverá ser de 40 a 70 ml de lubrificante levando em consideração o tamanho do compressor. Se tiver menos, é provável que tenha pouco lubrificante no sistema e não está retornando lubrificante necessário para o compressor, neste caso devemos colocar a quantidade estipulada acima levando em conta o tamanho do compressor, se tiver pouco acima deve se manter a mesma quantidade que saiu para que não falte lubrificante para o compressor e não devemos esquecer de repor o lubrificante do filtro secador.

Algumas observações:

- A troca de compressor sem fazer o flushing para remover o óleo velho pode diminuir a vida útil do novo compressor, podendo o fabricante não dar garantia do produto.

- Os compressores novos normalmente vem com mais de 100ml de óleo e tem que sempre medir e corrigir, pois há compressores que servem em vários veículos e a quantidade de lubrificante leva em consideração também o tamanho do sistema ou seja, existe sistema que usa o mesmo compressor mas a quantidade de lubrificante é diferente porque o sistema é maior ou tem casos em que há dois evaporadores etc.

- O compressor original sempre vem com o lubrificante próprio dele podendo ser utilizado, mas alguns compressores importados (China principalmente) na maioria vem com um lubrificante só de transporte de má qualidade, recomendo que substitua por um lubrificante de boa qualidade e viscosidade especificado pelo fabricante do compressor.

- Além do flushing quando troca-se o compressor é importante verificar a passagem do ar que arrefece o condensador se está limpo e se os eletroventiladores estão funcionando nas velocidades especificadas.

Comentários