Oficina Brasil


Funcionamento do Sistema E-Flex (Partida a frio sem gasolina)

Conheça em detalhes a arquitetura do Sistema E-Flex, conhecido por Sistema de Gerenciamento de Partida a Frio sem injeção de gasolina

Compartilhe
Por Melsi Maran


Avaliação da Matéria

Faça a sua avaliação

4

Esse sistema basicamente elimina o atual reservatório de gasolina para a partida a frio do motor e o substitui por um sistema que pré-aquece o combustível no tubo distribuidor dos injetores antes da sua injeção na câmara de combustão do motor.
Essa estratégia traz maior conforto e economia para os condutores, com a eliminação do uso da injeção de gasolina na partida dos veículos Total Flex, quando abastecidos com álcool.
Principais benefícios:
- ausência do reservatório auxiliar de gasolina a ser abastecido;
- redução de emissões de hidrocarbonetos, e consequente possibilidade de redução de cargas de metais preciosos no catalisador;
- melhoria da dirigibilidade na fase fria;
- partida confiável. 

PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO
No sistema E-Flex, quando a temperatura do líquido de arrefecimento do motor for inferior a 14,3º C e a porcentagem de etanol no tanque de combustível for maior que 85%, a Unidade de Comando da Injeção Eletrônica do Motor envia um sinal de comando à Unidade de Controle para aquecimento do combustível no tubo distribuidor que, por sua vez, energiza os aquecedores, fazendo com que o combustível existente nas regiões dos injetores seja aquecido a uma temperatura de 80º C.

A Unidade de Comando de Injeção pode realizar o diagnóstico da Unidade de Controle para aquecimento e dos seus aquecedores, em função da temperatura do líquido de arrefecimento do motor. Os aquecedores podem ser energizados por um período entre 1,5 até 8 segundos, para que o combustível possa atingir essa temperatura de 80º C. Esse período pode ser aumentado em casos excepcionais, por exemplo, quando a bateria está com sua carga baixa.
Mesmo após o início de funcionamento do motor, os aquecedores de combustível permanecem energizados por um período de 2 minutos, para melhorar a dirigibilidade do veículo na fase inicial de aquecimento do moto.

A 20ºC no sistema convencional, as gotículas do combustível são visivelmente maiores, gerando condensação em contato com as partes frias do motor e dificuldades de combustão. Com o aquecimento do combustível no sistema E-Flex, sua vaporização tem melhor efeito, gerando uma mistura ar/combustível mais homogênea com partículas bem menores resultando numa queima de melhor qualidade e partida mais rápida.

COMPONENTES DO SISTEMA
Tubo distribuidor de combustível: O tubo distribuidor de material plástico foi substituído por um de aço inoxidável para poder acomodar as velas aquecedoras e fechar o circuito elétrico de alimentação dos mesmos com o massa.

Convencional: 
- material: Plástico
- peso total (sem combustível): 285g
- válvulas injetoras EV6

E-Flex:
- material: Aço inoxidável
- peso total (sem combustível): 780g
- válvula injetora EV6
- elementos aquecedores

ELEMENTOS AQUECEDORES
Os conectores positivos são ligados ao pino de fixação de cada elemento aquecedor e transferem a corrente ao mesmo. O elemento aquecedor é composto, internamente, por uma bobina de aquecimento envolvida com pó de óxido de magnésio para que o calor gerado possa ser transferido uniformemente em todas as direções. Por sua vez, o calor gerado pelo elemento aquecedor aquece o combustível a uma temperatura de até 80º C, melhorando as condições para a sua evaporação quando for injetado. Após dada a partida do motor, os aquecedores permanecem em trabalho por 2 minutos, garantindo a melhor dirigibilidade na fase fria do motor. O elemento aquecedor pode ser trocado separadamente em caso de dano (ver foto ao lado e tabela).

UC PARA AQUECIMENTO DO COMBUSTÍVEL
Está localizada à esquerda do compartimento do motor, ao lado do filtro de ar. Suas funções são:
- ativar e desativar os aquecedores quando requisitado pela UCM.
-  informar a UCM sobre falhas no sistema e suas causas.
- proteger o sistema contra falhas, curtos-circuitos e corrente reversa.

UC COMANDO DO MOTOR
As funções da UCM foram ampliadas nos seguintes quesitos: 
- Tem a nova função de monitorar a corrente de aquecimento dos aquecedores, que depende da:  
- temperatura do motor;    
- ação do condutor;    
- mistura do combustível. 
- Também deve controlar os parâmetros de aquecimento:  
- durante e após a partida;
- registrar falhas dos componentes do sistema e-Flex;
gerenciar a luz indicadora de avarias do sistema e-Flex no Instrumento Combinado;
- gerenciar os novos relés para o Sistema de Partida Assistida em função da análise do sinal do Interruptor do Pedal da Embreagem para Partida e da linha 50.

BATERIA
Devido ao novo sistema E-Flex consumir maior corrente da rede elétrica do veículo, a bateria de 44Ah foi substituída por uma de 60Ah.

PAINEL DE INSTRUMENTO COMBINADO
No Painel de Instrumento Combinado a luz indicadora do sistema e-Flex (K11) é representada por uma espiral, que se acende por 2 segundos toda vez que a ignição é ligada. Quando o sistema e-Flex for ativado pela UCM, ao ligar a ignição a luz indicadora permanecerá acesa pelo período necessário até que os aquecedores  aqueçam o combustível à temperatura de 80º C, e depois se apaga indicando ao condutor que já é permitido dar a partida no motor.

Comentários