Oficina Brasil


Moto falhando: a culpa nem sempre é do carburador

Quando a motocicleta falha ou apresenta baixo desempenho, normalmente responsabilizamos o carburador, porém, na maior parte das vezes, deixamos para um segundo plano uma análise do registro de combustível

Compartilhe
Por Paulo José de Sousa


Avaliação da Matéria

Faça a sua avaliação

A torneirinha, como é conhecida, é  responsável em fornecer combustível que geralmente desce por gravidade até o carburador. Ela não apenas controla o fluxo da gasolina, mas também filtra as partículas que estão no interior do reservatório. Existe dois tipos de registros: torneira padrão, cujo o acionamento é manual, e torneira a vácuo com as mesmas opções da torneira padrão, porém só haverá fluxo de combustível quando o motor estiver em funcionamento.

Independente do tipo de registro, sua vazão deve ser assegurada, normalmente o volume é dado em cm³/min (centímetro cubico por minuto), mas nem sempre é o que ocorre. Parte da sujeira acumulada no interior do tanque  é retida no filtro de tela que compõe a peça, com o passar do tempo o volume de gasolina que flui pela torneira é reduzido comprometendo a alimentação do motor ocasionando algumas falhas no funcionamento da motocicleta, as panes por sua vez são frequentes nas altas rotações. Outro problema comum são as falhas que ocorrem quando a torneira está posicionada  na  reserva.



Mas o que fazer para evitar o entupimento da torneira e consequentemente  falhas no funcionamento da motocicleta?

Normalmente os fabricantes estabelecem um intervalo de manutenções com recomendações direcionadas ao reparador que deve estar atento e verificar a vazão do combustível que sai da torneira, limpar os filtros internos da torneira e do tanque. É válido procurar manter o reservatório de combustível sempre abastecido e evitar circular na reserva, visto que a quantidade de combustível da reserva é sempre muito reduzida, favorecendo assim que os resíduos se concentrem nos filtros (ver figura).

Normalmente os resíduos concentrados no interior do tanque são provenientes do combustível ou podem ser originados das oxidações formadas nas paredes internas do reservatório. Vantagem para as motocicletas equipadas com tanques de plástico ou alumínio, as motocicletas mais modernas utilizam  tanques  galvanizados.

Motocicletas que tiveram seus tanques amassados ou reformados exigem atenção especial, pois podem apresentar maior concentração de ferrugem interno e afetar diretamente o funcionamento dos registros, correndo risco de contaminar até o carburador.

Alguns sintomas que podem indicar problemas no fornecimento de combustível ao carburador:

Se houver entupimento no registro, ocorrerá redução parcial ou total no volume de combustível que alimenta o motor e consequentemente os seguintes sintomas:

Baixo rendimento da motocicleta, opção reserva não funciona, dificuldades na partida, falha no funcionamento, mistura pobre e até danos no motor.

Prováveis causas: Obstruções nos filtros  ou nas passagens  internas na torneira.

Ação corretiva: Desmontagem identificação da causa e remoção das impurezas das passagens da torneira.

Utilize pincel macio, gasolina e jato de ar para proceder a limpeza.

Outros problemas relacionados

Calço hidráulico e desgaste excessivo no motor - Algumas razões importantes para que os fabricantes recomendem que o registro de combustível seja fechado quando estacionamos a motocicleta:

Sabendo que a gasolina desce até o carburador pelo efeito da gravidade, o único dispositivo que protege o motor do excesso de combustível é a torneira, mas nem sempre lembramos de fechá-la, confiamos à boia e à válvula do carburador o trabalho de conter  a pressão do combustível e não deixar que ele desça enquanto o motor estiver desligado. Normalmente não há problemas, mas se houver uma falha na vedação no carburador e a torneira estiver aberta ou com defeito,  todo o combustível armazenado irá descer, fluindo direto pelo ladrão do carburador até o solo. Parte desse excesso irá para o cárter do motor provocando uma lavagem do pistão (remoção do óleo que lubrifica pistão e cilindro) e elevação no volume do lubrificante , como consequências disso ocorrerá desgaste excessivo das peças internas no motor e/ou vazamento de óleo misturado com o combustível pelo respiro do cárter.

Origem do calço hidráulico

Há casos onde o combustível líquido fica concentrado na câmara de combustão e no movimento de subida do pistão não será possível comprimir a mistura já que há líquido e não gás na câmara, na tentativa  o pistão poderá sofrer algum dano e a biela entortar-se pelo efeito do “calço hidráulico”.

Tipos de registro de combustível

Torneira  padrão - Este tipo é operado manualmente. A seleção de opções é dada por meio de uma alavanca, “ON” aberto, “RES” reserva, “OFF” fechado.

Na torneira, quando selecionamos a opção “ON”, o combustível sai do tanque pelo tubo mais longo, quando a opção é “RES” (reserva) o combustível desce pelo tubo menor.

Torneira a vácuo - Esta torneira tem o funcionamento  comandado pelo motor, é aberta ou fechada automaticamente quando se dá a partida ou se desliga o motor.

A sucção produzida pelo motor é usada para movimentar um diafragma que  controla o fluxo da gasolina. Há algumas torneiras com a opção  “PRI” que libera o combustível sem a necessidade do motor estar funcionando. Os cuidados são os mesmos da torneira padrão.

Quando substituir o reparo da torneira

Na torneira padrão, mesmo estando fechada, deve haver um fluxo de combustível parcial ou total para o carburador. Normalmente  há  desgastes na vedação, a solução é a troca do reparo de borracha ou do registro completo. Na torneira a vácuo o sintoma e a solução são os mesmos, porém quando há fluxo de combustível direto sem a necessidade do funcionamento do motor pode ser um indicador de falha no diafragma, o componente pode estar travado ou furado.

Comentários