Oficina Brasil


No inverno a climatização nos carros tem que aquecer seus ocupantes com muito conforto

Alguns sistemas que equipam os automóveis são lembrados que existem quando sentimos a necessidade de mais conforto, o ar quente é um deles e precisa de cuidados para um bom desempenho

Por Antônio Gaspar

Nos noticiários aparecem imagens mostrando as paisagens congeladas na região sul do Brasil e só de ver, dá-se a impressão que estamos sentindo frio, mas para quem tem um carro equipado com ar quente, pode ficar mais tranquilo desde que funcione corretamente.

 

Para quem trabalha como especialista em climatização automotiva, já sabe que no período de inverno o serviço diminui mas surge também uma concentração maior de serviços de troca do núcleo aquecedor. 

Este componente é um radiador pequeno que está instalado na caixa de ar sob o painel de instrumentos, conectado ao sistema de arrefecimento, por onde circula a solução arrefecedora que é aquecida durante o funcionamento do motor. 

Núcleo aquecedor 

Bomba d’água 

Ventilador 

Reservatório 

Radiador 

Válvula termostática 

Mangueiras 

 

Enquanto lá fora a temperatura pode estar até abaixo de zero, dentro do carro pode estar na temperatura que os ocupantes desejarem, porem isso depende do funcionamento correto dos sistemas de arrefecimento e do sistema de climatização. 

Na climatização temos alguns componentes básicos que atuam no aquecimento:

  • O núcleo do aquecedor,  
  • O motor do ventilador,  
  • As mangueiras do aquecedor;  
  • A válvula de controle do aquecedor; 
  • O painel de controle e a montagem do sistema de climatização dentro do carro.  

Os componentes do sistema de refrigeração do motor que interagem com o sistema de aquecimento do habitáculo do veículo são: 

  • O líquido refrigerante;  
  • A válvula termostática;  
  • O radiador; 
  • A bomba de água. 

O calor que é criado pelo funcionamento do motor se acumula e precisa ser dissipado. Boa parte desse calor é direcionado através do sistema de exaustão e o calor acumulado remanescente é transferido para o óleo lubrificante que circula pelas galerias de óleo e também para a solução arrefecedora que percorre as galerias de água no bloco e no cabeçote do motor.  

Quando o motor atinge a temperatura ideal de funcionamento, a válvula termostática abre e permite que o líquido refrigerante do sistema de arrefecimento circule pelas passagens do motor, removendo o calor do motor e enviando-o para o radiador que dissipa no ambiente e a outra parte vai para o núcleo do aquecedor, que distribui esse calor na cabine do veículo.  

O núcleo aquecedor tem uma entrada e uma saída para permitir que o líquido refrigerante aquecido passe através do núcleo e quando o motor do ventilador é acionado, sopra o ar através do núcleo do aquecedor levando o ar aquecido para dentro automóvel.

A válvula de controle do aquecedor é o dispositivo que controla o fluxo do líquido de arrefecimento do motor através do núcleo do aquecedor. Geralmente está localizado em uma das mangueiras do aquecedor para regular esse fluxo. Assim, esta válvula ajuda a controlar a temperatura de saída do ar aquecido para a cabine, conforme a necessidade dos ocupantes do veículo. 

Alguns modelos de veículos não utilizam esta válvula de controle e a água aquecida circula constantemente enquanto o motor estiver em funcionamento. O controle de aquecimento do habitáculo é feito através das portas de passagens dentro da caixa de ar. 

Para que o aquecedor funcione adequadamente, o sistema de arrefecimento do motor deve estar em boas condições, com a mistura adequada de líquido de arrefecimento e água para que ele esteja no nível de proteção adequado. 

No mercado encontramos produtos que atendem às Normas ABNT NBR 13705:2016 que especifica os requisitos e os métodos de ensaio para a determinação das características dos aditivos concentrados dos tipos monoetilenoglicol e monopropilenoglicol, tipos A e B, destinados à preparação da solução refrigerante, que por sua vez deve promover o arrefecimento do motor endotérmico e conferir proteção adequada contra o congelamento, fervura, cavitação e corrosão, 

ABNT NBR 14261:2016 especifica os requisitos e os métodos de ensaio para determinação das características das soluções arrefecedoras do tipo A (monoetilenoglicol diluído a no mínimo 33 % em volume), do tipo B (monopropilenoglicol diluído a no mínimo 33 % em volume) e do tipo C (glicerina diluída a no mínimo 33 % em volume). 

O uso destes produtos que atendem às norma ABNT garantem a qualidade e eficiência do funcionamento do sistema de arrefecimento do motor.  

A válvula termostática precisa estar abrindo e fechando nas temperaturas determinadas e a bomba d’água precisa estar funcionando para que possa circular o líquido refrigerante através do radiador do motor e do núcleo aquecedor. Estes dois componentes precisam ser mantidos limpos e sem vazamentos para poderem dispersar o calor do motor adequadamente. 

A manutenção adequada do sistema de arrefecimento é fundamental para que o sistema de aquecimento do veículo funcione.  

Alguns indicadores de mau funcionamento são mais fáceis de identificar: 

  • Nível do líquido de arrefecimento baixando; 
  • Cheiro ruim dentro do carro; 
  • Aquecimento do motor. 

Curiosamente no período do verão quando ocorre um vazamento de água no núcleo aquecedor, é comum o proprietário sugerir que o sistema seja anulado e isso não é correto. Já no inverno o comportamento muda completamente e o cliente pede para arrumar para que o carro tenha o ar quente funcionando corretamente. 

O que o cliente não imagina é que para chegar até o núcleo aquecedor, é preciso desmontar e retirar o painel do carro porque a caixa de ar fica presa na parte de baixo do painel. São poucos os carros que permitem o acesso pela lateral da caixa de ar. 

A imagem de um carro com o painel removido assusta o cliente, custa mais caro pelo serviço demorado e cuidadoso mas é a maneira de ter acesso ao núcleo aquecedor.

Antes da montagem do núcleo aquecedor, é recomendável testar a peça e ter a certeza que não tem defeito ou vazamento. Isso é mais fácil que ter a triste constatação que montou uma peça nova mas com defeito e ter que desmontar todo painel novamente. 

Alguns carros utilizam outro sistema de aquecimento com o uso de aquecedores elétricos. Olhando parece um núcleo aquecedor mas nele não passa água aquecida e no lugar da tubulação interna tem uma resistência que aquece o núcleo aquecedor e o ar soprado pelo ventilador passa através dele e leva o calor para dentro do carro. 

Este modelo de sistema de aquecimento exige mais cuidados na parte elétrica do carro, principalmente nos fusíveis e relés que protegem este sistema de aquecimento. 

Comentários