Oficina Brasil


COMO ERA O SISTEMA DE CLIMATIZAÇÃO DE UM CARRO FABRICADO HÁ VINTE ANOS?

Duas décadas para o setor automotivo é muito tempo para implantar inovações e algumas dessas evoluções eram para um público reservado, que somente agora começam a ser oferecidas em larga escala

Por Antônio Gaspar

Na reparação automotiva surgem especialistas em algumas áreas devido a sua complexidade que exige conhecimento técnico e equipamentos específicos, como exemplo, ar-condicionado.

O profissional que atua nesta área deve ter conhecimento em mecânica, sistema de arrefecimento, elétrica e também muito conhecimento em eletrônica.

Outra referência importante é executar os serviços com base na Norma ABNT NBR 15629/2008 que estabelece os procedimentos e as recomendações para a manutenção em sistemas de climatização em veículos rodoviários automotivos.

Descrição:

Observando um carro fabricado em 1998, ficamos encantados ao descobrir que possui ar-condicionado digital, zonas de conforto para o motorista e outra para o passageiro e quando ocorrer um defeito, ele gera códigos de falhas para facilitar a reparação deste sistema.

Para acessar os códigos de falhas não é preciso usar um scanner específico porque o sistema permite o autodiagnóstico através do módulo de controle do ar-condicionado que monitora e armazena os códigos na memória quando alguma falha for detectada. Os códigos de falhas são exibidos na tela de temperatura no painel de controle do ar-condicionado do lado do motorista. Fig.1

Fig. 1

Acesso aos códigos de falhas:

Pressionando e segurando o botão Auto e o botão de Recirculação do ar, e ligando a chave de ignição e os indicadores irão piscar e desligar em intervalos de 1 segundo, 4 vezes seguidas e um tom soará como uma verificação de indicador. Caso queira interromper a verificação do indicador, pressione o botão OFF. Fig. 2

Fig. 2

Com a conclusão da verificação do indicador, o sistema entra em modo de auto- diagnóstico e os códigos de falhas armazenados irão aparecer em sequência na tela de temperatura do lado do motorista e os códigos são apresentados com 2 dígitos.

Para apresentar os códigos de falhas um de cada vez, pressione o botão de temperatura do lado do motorista. Para saber se o código de falha é pertinente a um defeito presente, um tom vai soar quando o código for exibido. Quando o código apresentado não soar um tom é porque é defeito passado.

Para sair do autodiagnóstico basta apertar o botão OFF.

Tabela de códigos de falhas

Para limpar a memória, remova o fusível ECU-B2 do bloco de junção do lado do passageiro e aguarde por 10 segundos para apagar os códigos de falhas. Fig.3 e Fig.4

Fig. 3

Fig. 4

Depois de reinstalar o fusível, verifique se o código Normal aparece (Código 00)

 

Compressor do Ar-condicionado

Remoção e Instalação

  1. Ligar o motor e deixar em marcha lenta.
  2. Ligar o ar-condicionado por aproximadamente 10 minutos se estiver funcionando.
  3. Desligar o motor.
  4. Desconectar o cabo negativo da bateria e aguarde dois minutos para desenergizar o sistema do airbag.
  5. Recolher o gás do sistema de ar-condicionado.
  6. Levantar o carro e remover o protetor do motor.
  7. Retirar a correia de acionamento dos acessórios.
  8. Remover as porcas e parafusos, desconecte as mangueiras e conectores elétricos do compressor.

Obs.: Vedar a abertura das peças desconectadas usando fita isolante para evitar a entrada de umidade e sujeira.

Instalação

  1. Instalar o compressor colocando os parafusos e porcas.
  2. Apertar as porcas com 29Nm e os parafusos com 49Nm.
  3. Ligar o conector elétrico.
  4. Lubrificar os anéis de vedação com óleo do compressor e instalar nas mangueiras de descarga e sucção.
  5. Instalar a mangueira de descarga e apertar a porca com 10Nm.
  6.  Instalar a mangueira de aspiração e apertar o parafuso e a porca com 10Nm.
  7. Instalar a correia de acessórios e verificar a tensão Fig.5.
  8. Instalar o protetor do motor.
  9. Ligar o cabo negativo da bateria.
  10. Evacuar e carregar o sistema do ar-condicionado.
  11. Verificar se há vazamentos.
  12. Verificar o funcionamento do ar-condicionado.

Fig. 5

 

Verificação do nível do gás refrigerante

Alguns sistemas de ar-condicionado possuem um visor para verificar a carga do gás refrigerante que está na parte superior filtro secador que está localizado na frente do compartimento do motor, no lado direito ou esquerdo do conjunto do condensador. Fig. 6

Fig. 6

  1. Ligar o motor e o ar-condicionado, observe o fluxo do gás refrigerante através do visor. Se o ar-condicionado estiver funcionando corretamente, você poderá ver um fluxo contínuo de gás refrigerante transparente através do visor.
  2. Não aparecendo bolhas quando o sistema está funcionando e o ar está resfriando, indica que o sistema está sem problemas.
  3. Aparecendo bolhas no visor enquanto o ar-condicionado estiver funcionando, indica que falta gás refrigerante.
  4. Marcas de óleo no visor como estrias são indícios de problemas que podem ser a carga de gás refrigerante que está baixa e a consequência é a redução na saída de ar frio para dentro do carro.

Filtro de cabine

Remoção e instalação

  1. Abra o porta-luvas Fig. 7
  2. Remova a tampa do porta-luvas, Fig. 8
  3. Remova a tampa do filtro.
  4. Retire o conjunto do filtro.
  5. Faça a substituição.

Fig. 7

Fig. 8

Especificações técnicas

Usar somente óleo novo, desidratado na condição de menos 10 ppm –partes de água por milhão.

Para os sistemas que usam o gás refrigerante R134a é recomendado o óleo PAG, mas vale lembrar que ele absorve umidade muito rápido chegando a 2,5 a 5,5% do seu peso e em comparação com o óleo mineral que absorve 0,005% do seu peso.

Pressões de operação do sistema:

Lado alto – 199 a 213 psi (14-15 Kg/cm²);

Parte de baixo – 21 a 36 psi (1,5-2,5 Kg/cm²);

Quantidade de óleo PAG - 142 ml;

Quantidade de gás -  650 a 750 g.

Para quem ficou curioso em saber que carro é esse que foi fabricado há 20 anos e com esta tecnologia, é o Lexus série 400.

Comentários