Oficina Brasil


Saiba como identificar problemas nas juntas homocinéticas

Ruído ou vibração durante as acelerações em velocidades constantes ou com uso do freio-motor podem ser indícios de comprometimento no componente

Compartilhe
Por Da Redação


Avaliação da Matéria

Faça a sua avaliação

Peças que servem para transmitir torque, ou seja, força do motor às rodas de forma constante, sem variações nem vibrações, em qualquer situação, as juntas homocinéticas se articulam para cima e para baixo, ao acompanhar o sobe-e-desce da suspensão e se movem para os lados, de acordo com os movimentos da direção.  

As juntas fixas e deslizantes são ligadas por um eixo e permite que ambas giram juntas e com a mesma velocidade, não importa o ângulo que formem uma com a outra. Assim, são fundamentais para o funcionamento do veículo, suportando, muitas vezes, condições severas de funcionamento. 

Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata, adverte: “É importante que o motorista fique atento a ruídos provenientes da junta homocinética ou a qualquer anormalidade em seu funcionamento, pois se a peça quebrar poderá provocar a parada inesperada do veículo”.

A recomendação é levar o automóvel a um reparador de confiança para efetuar o teste de rodagem e fazer o diagnóstico correto já que o fato de fazer algum barulho diferente não significa necessariamente um problema nas juntas homocinéticas. “Fazer uma inspeção nas juntas homocinéticas ou nos sistemas de direção e de suspensão ajudam a identificar os problemas mais evidentes.

Circular por ruas planas, realizar curvas fechadas, forçar mudanças de velocidade e usar o freio-motor pode ajudar no diagnóstico do problema”, comenta.

Segundo Silva, caso o veículo apresente ruído em linha reta e em aceleração e desaceleração, o veículo pode estar com a homocinética deslizante desgastada. Já se apresentar ruído em curvas, possivelmente o defeito está na homocinética fixa. Por isso, é importante levar ao profissional capacitado em reparação para que efetue o diagnóstico adequado.

As coifas também devem ser checadas já que podem estar furadas ou rasgadas. “Quando comprometidas, as coifas precisam ser trocadas, ocasião em que as braçadeiras e graxas devem ser substituídas e, no caso de contaminação da graxa, a junta homocinética deve ser trocada”, acrescenta Silva.

 

Comentários