Oficina Brasil


Sistema de mudanças com defeito, a marcha escapa, o câmbio está duro e o neutro não entra

Uma dessas pode ser a reclamação de seu cliente, o sintoma ocorre na motocicleta “zerada” ou naquela bem “velhinha”, pode ser uma moto grande ou até uma “cinquentinha”

Compartilhe
Por Paulo José de Souza


Avaliação da Matéria

Faça a sua avaliação

 O “Imperdoável” defeito no câmbio irrita, faz o condutor passar vergonha no trânsito quando erra a marcha, o pior, coloca a segurança em risco, principalmente em uma ultrapassagem e nessa hora a marcha não pode escapar. 

O nosso objetivo é explicar as funções de cada componente do sistema de mudanças de marchas na motocicleta, apresentaremos também as possíveis soluções dos problemas. 

Para as falhas relacionadas ao sistema de engate de marchas as causas são inúmeras, tirando o que seria um possível defeito de fábrica a maioria dos problemas estão relacionados com a falta de manutenção preventiva, e em muitos casos há desgastes considerados normais que são originados pelo excesso de utilização da motocicleta. Sendo assim, se os itens defeituosos ou gastos forem substituídos previamente conforme orientação do fabricante da motocicleta os incômodos serão evitados.  

Vale lembrar que a prática da manutenção preventiva é o melhor caminho para satisfação e a fidelização do cliente, assim consegue-se atender as suas expectativas, esse deve ser o ideal de cada reparador que almeja atrair mais clientes para a sua oficina. 

Amaciamento do motor de motocicleta nova 

Antes de pensar que há um defeito é necessário considerar o período de amaciamento descrito no manual do proprietário, após esse intervalo de tempo ocorrerá uma melhora sensível no sistema de mudança de marchas, o câmbio ficará mais preciso e macio. 

Opiniões e palpites, cada mecânico tem uma explicação para um sintoma de mau funcionamento no sistema de engate de marchas, mas há uma unanimidade nisso, alguns defeitos são mais frequentes em determinados modelos, geralmente estão relacionados ao uso mais severo.  

 As motocicletas utilizadas em motofrete ou mototaxi envolvidas nos trânsitos das grandes cidades têm o sistema de engate de marchas muito mais solicitados que as motocicletas de uso comum, por isso é normal o desgaste excessivo em alguns elementos do sistema de mudança de marchas. Motocicletas esportivas utilizadas no fora de estrada também são passíveis de problemas semelhantes. As motocicletas de uso regular também apresentam os mesmos sintomas, porém em períodos deferentes e com menor frequência.  

Câmbio com escalonamento linear 

O escalonamento do câmbio da motocicleta é linear, segue engatando em ordem crescente, geralmente após a primeira vem o ponto morto e as demais marchas na sequência, o desengate atende à ordem decrescente de marchas. Em uma reduzida da sexta até a primeira marcha é necessário passar por todas as demais marchas, essa é uma situação vivenciada no trânsito, quando o condutor está parado diante de um semáforo e tenta reduzir até a primeira marcha para prosseguir viagem, porém a redução nem sempre é possível, em caso de defeito o sistema de engate pode ficar momentaneamente inoperante. 

Para se prevenir, alguns condutores mais experientes reduzem as marchas progressivamente até a parada da motocicleta, mas quando isso não é possível ocorre um certo pânico, o condutor se vê em meio ao movimento dos carros efetuando inúmeras tentativas até conseguir engatar a primeira marcha e partir. 

 

Categorias de sintomas de mau funcionamento do sistema de engate de marchas   

  • Motocicleta dá tranco forte na corrente ao engatar marchas, o choque é percebido com mais intensidade ao engatar a primeira marcha. 

  • Marcha escapa ao pilotar a motocicleta, o sintoma é mais frequente quando se acelera 

  • O câmbio está duro (difícil mudar de marchas) o sintoma é percebido nas baixas velocidades ou parado principalmente quando o motor está quente 

  • O neutro (ponto morto) não entra, o sintoma é mais sensível com a motocicleta parada 

Lógica dos diagnósticos no sistema de engate de marchas 

O sistema de mudança de marchas é composto por elementos externos e internos ao motor, lembrando que a precisão e a facilidade de engate não está associada ao número de marchas. 

Para pensar na solução do problema é melhor seguir a lógica de diagnósticos de defeitos, devendo o reparador iniciar o serviço sempre pelas tarefas mais simples, tendo em mente que a solução nem sempre requer a abertura de motor.  

Possíveis causas de dificuldades e defeitos no engate de marchas 

  • Manutenção preventiva 

A conservação da motocicleta está associada à periodicidade das manutenções, nela são previstos os ajustes e as substituições necessárias, como: lubrificante adequando ao motor, lubrificação e ajuste de cabo da embreagem, lubrificação da articulação da alavanca (manete) da embreagem. 

  • Excesso de folga do cabo da embreagem:

Folga excessiva dificulta o desacoplamento dos discos da embreagem, dificultando a mudança de marcha e posicionamento de neutro em baixa velocidade ou com a motocicleta parada. 

  • Defeito nas estrias do pedal de câmbio; 

  • Defeito nas estrias do eixo pedal de câmbio. 

Falhas ou desgastes nas estrias tanto do eixo, quanto do pedal, fazem com que o pedal de câmbio patine no eixo, assim ocorre a dificuldade de engate de marchas. (Fig.2)  

  • Pedal de câmbio torto, falta de lubrificante nas articulações do pedal. 

  • Falha no posicionamento do pedal de câmbio faz com que a alavanca tenha o movimento limitado pela carcaça do motor impedindo parcialmente o engate de marchas 

  • Desalinhamento do eixo do pedal de câmbio pode dificultar as operações de mudanças de marchas

 

  • Possíveis causas de trancos durante os engates de marchas 

  • Folga excessiva do cabo da embreagem;  

  • Folga excessiva na corrente de transmissão;  

  • Prisioneiros soltos da coroa da transmissão secundária;  

  • Folga entre o pinhão e o eixo primário do câmbio;  

  • Desgastes (folgas) nos coxins amortizadores da coroa.  

Cabe aqui uma advertência, independente da causa, o tranco excessivo na corrente de transmissão pode ocasionar danos na transmissão: corrente coroa e pinhão e nos seguintes itens do câmbio:  rolamentos, retentor e eixo secundário. 

Análise de componentes internos do motor  

Além dos componentes externos há também os componentes internos do motor, porém nesta edição a abordagem será parcial, não vamos estudar os seguintes componentes: engrenagens do câmbio, garfos, seletor de marchas e embreagem. Os itens serão abordados em uma próxima edição. 

Os mecanismos do sistema que são envolvidos durante a mudança de velocidades são: 

  • Mola de torção;  

  • Mola da articulação do braço; 

  • Pescador/braço seletor. 

 

  • Eixo do pedal de câmbio; 

  • Segmento de mudança/excêntrico posicionador; 

  • Fixador do segmento de mudança/excêntrico posicionador. 

O câmbio é um sistema de troca de velocidades (par de engrenagens), com o acionamento de um pedal (alavanca) localizado do lado esquerdo do motor escolhe-se a marcha mais apropriada conforme a necessidade. (Fig.8)    

Analisando alguns dos componentes do motor 

Os componentes analisado estão localizados logo após a remoção da tampa direita do motor (tampa da embreagem), a regra é válida para as motocicletas Yamaha e Honda e 125cc a 200cc e demais marcas, o acesso é simples, algumas motocicletas exigem a remoção da embreagem. 

Durante a análise observe os seguintes itens: 

  • A articulação e extremidades do braço seletor (pescador), veja se o conjunto não está travado ou trincado; 

  • Mola da articulação do braço (“pescador”); 

  • Empenamento do eixo de mudança;  

  • Condição da alavanca limitadora, essa peça é responsável pela posição das marchas, caso haja algum defeito na polia ou na mola as marchas irão escapar ou o câmbio poderá ficar impreciso e duro; 

  • Mola de torção, defeito nessa peça pode ocasionar o seguinte sintoma: dificuldades na mudança de marchas; 

  • Segmento de mudança ou excêntrico posicionador (estrelinha), analise os pinos, e o contorno da peça.  Deformidades e desgastes podem acarretar os seguintes sintomas: marchas escapam e dificuldades na mudança de velocidades. 

​​​​​​​

Se constatado defeito ou desgastes no segmento ou braço seletor de marchas recomenda-se trocar o conjunto.  

Comentários