Oficina Brasil


Panes na parte elétrica da motocicleta podem ser causados por mau contato!

Problemas na parte elétrica, luzes não funcionam, luz da injeção indicando defeitos, para esses e outros sintomas a causa pode estar relacionada à falha na continuidade entre os fios e conectores

Compartilhe
Por Paulo José de Sousa


Avaliação da Matéria

Faça a sua avaliação

5

Sabemos que eletricidade e o mau contato não combinam, falhas nos componentes eletroeletrônicos das motocicletas são defeitos que não escolhem marcas nem modelos, esse mal pode estar presente em motos novas, velhas, nacionais ou importadas. Moto de pouco uso, uso excessivo ou moto de praia também estão na lista, mais cedo ou mais tarde podem dar problemas. Entre as panes elétricas que ocorrem na motocicleta, as mais comuns são originados pelas falhas de contato que podem ser provocadas por folgas nos conectores, infiltrações de água, fios quebrados ou oxidações. Em geral a solução desse tipo de defeito é simples, mas a identificação da causa pode ocupar um tempo precioso da rotina do reparador. Por isso, nesta edição trouxemos algumas dicas que irão ajudar a identificar de forma mais rápida as possíveis causas dos principais defeitos ocasionados pelo mau contato.  

As falhas de contato nas conexões eletroeletrônicas acarretam o mau funcionamento, parada do motor, e em alguns casos o sistema de injeção eletrônica pode gerar códigos de falhas que induzem o reparador a optar por um diagnóstico complicado, trabalhoso e às vezes equivocado. Há situações em que são trocadas peças nem sempre necessárias, sendo assim, o mecânico se frustra ao descobrir que a causa do defeito era apenas falha de contato. Essa sequência de erros aborrece o cliente, coloca em dúvida a credibilidade da oficina e traz prejuízos.

Qual é a maneira mais rápida de realizar um diagnóstico preciso? Salvo raras exceções, para esta pergunta a resposta só pode ser uma:  O reparador deve conhecer previamente o sistema eletroeletrônico da motocicleta e seguir os procedimentos de análise e reparo recomendados pelos fabricantes.

Parece simples, mas o que se observa em alguns casos é uma preocupação focada na substituição dos componentes, deixando para segundo plano o diagnóstico e eliminação das possíveis causas do defeito. 

Quero deixar uma dica para quem não se dedica muito ao estudo da eletricidade: É bom investir em conhecimento, é necessário pensar no futuro, não precisa ser “profeta” para saber que em breve as motocicletas e scooters elétricos vão estar em nossa oficina. Esses novos veículos também podem ser acometidos de falhas em suas conexões eletroeletrônicas.

Causas de mau contato na fiação ou componentes elétricos da motocicleta:

⦁ Vibração excessiva;

⦁ Conectores mal encaixados;

⦁ Fios prensados no chassi da motocicleta;

⦁ Erro nas passagens da fiação;

⦁ Falha na vedação ou isolação dos fios;

⦁ Fiação encostada no escapamento;

⦁ Uso de produtos corrosivos na lavagem da motocicleta.

Verificação de contato elétrico com o auxílio do multímetro

No multímetro a escala da continuidade é a recomendada, é simples, possui fácil compreensão, a escala utilizada é indicada pelo ícone que lembra o logotipo do Wi-Fi. 

Para o reparador a continuidade deverá significar o mesmo que contato, ou seja, o sinal acústico emitido pelo multímetro durante o teste indicará que há ligação entre as extremidades do componente ou de sua fiação. A indicação de contato também pode ser utilizada para identificar a presença de curto-circuito nos dispositivos. Além do sinal acústico (bip), o multímetro também utiliza no display de cristal líquido a indicação numérica para designar a continuidade ou a interrupção da continuidade. 

Análise de continuidade pelo painel do multímetro, condições:

1 - Indicação numérica “I” de circuito aberto (sem continuidade)

2 - Indicação numérica “003” de circuito fechado (há continuidade)

O diagnóstico identificará a presença de fios quebrados, terminais soltos, terminais oxidados falha de acoplamento de conectores. A falha na continuidade (circuito aberto) interfere na comunicação entre os componentes do sistema elétrico, por isso ocorre a pane.

Linha de raciocínio do multímetro na escala de continuidade

No multímetro a escala de continuidade é de interpretação objetiva, o resultado do teste é dado sempre em uma das três condições abaixo: 

⦁ Há continuidade (não há defeito, tudo irá funcionar corretamente); 

⦁ Não há continuidade (há defeito presente); 

⦁ Continuidade intermitente (há defeito, mas nem sempre ocorre).

Para a realização do teste de continuidade o componente da motocicleta não deverá estar energizado.

Pontos de análise nas conexões da motocicleta:

⦁ Conector do ECM/ECU; 

⦁ Conexão da bomba de combustível;

⦁ Conexão do regulador/retificador;

⦁ Conexão dos relés;

⦁ Conexões dos sensores;

⦁ Conexões de atuadores;

⦁ Conexões de aterramento 

⦁ Conexões da bateria;

⦁ Conexões do estator;

⦁ Caixa de fusíveis

⦁ Interruptores e conexões;

⦁ Interruptor da ignição;

⦁ Fiação da motocicleta.

Panorama de análise das conexões do diagrama do sistema elétrico

Comentários