Oficina Brasil


Panamá entra na rota do aftermaket latino-americano e internacional

Entre os dias 18 e 20 de junho aconteceu a Latin Auto Parts Expo na cidade do Panamá, que contou com a presença de 358 exibidores e mais de quatro mil visitantes

Compartilhe
Por Cassio Hérve e Marcelo Gabriel


Avaliação da Matéria

Já na sua segunda edição o evento anual “LAPE 2015” já experimentou um crescimento de mais de 25% em relação a sua primeira realização no ano passado.

Tal se deve à posição estratégica do evento que tem a cidade do Panamá como sede, natural “hub” para negócios de peças unindo norte da América do Sul, Caribe e Mexico.

De empresas brasileiras registramos a presença da MTE-Thomson e Fras-le. Foi percebida forte presença asiática, com empresas chinesas ocupando boa parcela do espaço, além de empresas de empresas de mais de 20 países do mundo todo, o que comprova o caráter internacional do evento.    

O evento é organizado pela Latin Expo Group, conta com o apoio do Governo do Panamá e The United StatesDepartmentofCommerce.

O jornal Oficina Brasil esteve participando da feira com um estande e promovendo negócios. Os representantes do jornal presentes ao evento ressaltaram a organização perfeita do evento e o público altamente selecionado. “Para nós foi uma surpresa agradável participar da ALEPA 2015, pois é um evento que mostra a pujança e oportunidades do mercado Latino Americano reunidos em um evento de alto nível e público extremamente qualificado” resumiu Cassio Hervé, que representou o Grupo Oficina Brasil no evento. 

CONFERÊNCIA

Paralelamente à exposição aconteceu um seminário que contou com a presença de palestrantes reconhecidos na região e uma pauta com temas atuais e significativos para qualquer mercado de aftermarket automotivo.

O campeão da fórmula Indy, HelioCastroneves, foi uma atração à parte e autografou seu livro para os visitantes da feira

Destacaram-se neste seminário a apresentação de Daniel Moroles, diretor de Vendas e Marketingda Auto Value.  Em sua apresentação Moroles destacou a importância dos distribuidores de autopeças se juntarem aos grupos de compras. Comprovou com exemplos práticos e muita informação de mercado as vantagens deste modelo de negócios para os comerciantes “independes” de autopeças.

Também o Sr. Mandy Aguilar, VP Regional da The Parts House, mostrando total sintonia com os avanços do mundo digital no comércio de peças, apresentou sua visão do que chama de “m Commerce” que registra o impacto das plataformas mobile (smartphones) na forma de gerar leads de venda para o mercado de reposição.

O  Grupo Oficina Brasil participou com um estande , oferecendo dados sobre o mercado de reposição no Brasil / Gustavo Lima (segundo da esquerda para a direita) diretor da feira e representantes do aftermarket latino-americano

Na competente programação de assuntos “de mercado” ainda houve a palestra do representante da NAPA (Sr. Roberto Delfin) que falou da rede norte-americana e sua atuação em países como México e Caribe.  

Para finalizar o encontro tivemos duas apresentações de caráter técnico e patrocinadas pelas empresas ACDELCO e Mitsubishi: a primeira com conteúdo sobre ferramentas pneumáticas de última geração e a segunda sobre a divisão de turbo-alimentadoras da marca japonesa, que inicia atividades no aftermarket. 

BOX – DIRETOR DO EVENTO FALA SOBRE A LAPE 2015

Responsável pela mais importante feira da américa central, Gustavo Lima falou com exclusividade ao jornal Oficina Brasil. 

OB. Como nasceu o Latin Expo Group responsável pela LAPE?

Depois de viajar muito visitando feiras em todos os continentes percebi que havia espaço para criar feiras e eventos que atendessem melhor às necessidades dos públicos envolvidos.

OB. Quantas feiras a sua empresa realiza por ano e em que países elas acontecem?

Só para exemplificar neste ano de 2015 estamos realizando os seguintes eventos:

North AmericaTire&Retreat Expo in New Orleans, que aconteceu em abril, a LatinAmerican&CaribeanTyre Expo, aqui no Panamá e que aconteceu nos dias 16 a 18 de junho e finalmente a LAPE, igualmente aqui na cidade do Panamá.

OB. Qual sua avaliação das duas feiras realizadas aqui no Panamá?

Os dois eventos superaram nossas expectativas, prova disso é que o centro de convenções (AtlapaConvention Center in Panama) ficou pequeno para tantos expositores.

Neste sentido estamos esperando para as próximas edições as obras de ampliação do Atlapa Center, para que possa atender nossa expectativa de triplicar o evento nos próximos anos. 

OB. Como você qualifica os expositores e visitantes das feiras organizadas pela sua empresa?

Todo o aparato eletrônico de comunicação hoje em dia não é capaz de substituir o contato humano direto, principalmente no mundo dos negócios e neste sentido nossas feiras têm provado este potencial de gerar negócios para os públicos participantes (exibidores e participantes) e justificar os investimentos. Nada como o cara a cara e mano a mano, principalmete quando os visitantes são qualificados e decidem o processo de compras, pois nossas feiras não são abertas para o público em geral, apenas empresários e profissionais altamente qualificados. 

OB. Quais os diferenciais das feiras organizadas pela sua empresa e as outras?

Resumiria nas seguintes palavras: diversão, serviço ao cliente, no stress e nossa incansável preocupação e foco no retorno do investimento dos exibidores. 

OB. Na sua opinião qual é o foco dos participantes em suas feiras?

Sendo simples e direto: encontrar compradores! 

OB. Quantos países estão presentes na LAPE?

Estamos vivendo um mundo globalizado, assim não interessa de onde é a sua companhia, vale a pena atravessar o mundo em busca de novos negócios e mercados. Para se ter um ideia mais de 60 países estavam representados aqui na LAPE 2015.

OB. Qual a sua avaliação desta LAPE 2015?

Na minha visão conseguimos, mais uma vez e com sucesso, fazer com que compradores qualificados se encontrem cara a cara com os expositores, de tal forma que possam gerar valor e resultados em novos mercados para suas empresas, por meio do comércio internacional e num ambiente descontraído, eficiente e de pouco stress. 

OB. Quais são os planos para o futuro? 

Grandes planos! 

Para o ano que vem estaremos adicionando dois novos eventos e mais três para 2017. O objetivo de nossa empresa é incorporar 12 eventos de grande porte até 2018! A este arrojado plano de crescimento ainda vamos adicionar um evento de dança e música nos Estados Unidos. 

OB. Para finalizar. Como nasceu a ideia de promover um evento deste porte no Panamá?

O Panamá é uma base geográfica natural para toda a América Latina e também se tornou um importante “hub” para o transporte de cargas e passageiros. 

Colabora para esta atmosfera de sucesso o ambiente “pró-business” deste fantástico país, assim como toda sua infraestrutura hoteleira, turismo, estradas e hospitalidade. 

O sucesso do evento deste ano, somado à opinião dos participantes, provaram que acertamos na escolha do Panamá.

 

Comentários