Oficina Brasil


Volkswagen lança seu mais novo SUV, o T-Cross, destaque do Salão do Automóvel

O mais novo SUV compacto da montadora alemã foi apresentado ao público pela primeira vez no Salão do Automóvel de São Paulo e chega ao mercado neste mês

Por Caique Silva

O Volkswagen T-Cross  faz parte dos cinco novos SUVs a serem lançados pela montadora na América Latina até 2020 e é produzido sobre a Estratégia Modular MQB. O primeiro deles foi o Tiguan Allspace, o segundo é o T-Cross e o terceiro SUV dessa estratégia será o Tarek, a ser produzido na fábrica de General Pacheco, na Argentina.

O T-Cross é também o primeiro SUV a ser produzido pela Volkswagen no Brasil, na fábrica de São José dos Pinhais.

 

VERSÕES 

O SUV compacto da Volkswagen tem quatro versões: - T-Cross 200 TSI (a única a trazer o câmbio manual de seis marchas); T-Cross 200 TSI Automático; T-Cross Comfortline 200 TSI e T-Cross Highline 250 TSI – todas essas equipadas com o câmbio automático de seis marchas. 

MOTORES E TRANSMISSÕES 

O T-Cross tem exclusivamente motores TSI, que combinam injeção direta de combustível e turbocompressor. 

O motor 200 TSI Total Flex desenvolve potência de até 128 cv (94 kW) a 5.500 rpm, com etanol – com gasolina, são 116 cv (85 kW), à mesma rotação. O torque máximo é de 200 Nm (20,4 kgfm), com gasolina ou etanol, sempre na faixa de 2.000 a 3.500 rpm. 

Esse motor pode ser combinado a duas opções de câmbio, ambas de seis marchas: manual (exclusivamente na versão 200 TSI) ou automática com função Tiptronic, que também conta com as aletas no volante para troca de marcha – “shift paddles”. 

O motor 250 TSI Total Flex equipa a versão Highline. Gera potência de até 150 cv (110 kW), com gasolina ou etanol, a 4.500 rpm. O torque máximo, também com ambos os combustíveis, é de 250 Nm (25,5 kgfm) – é o maior torque da categoria. Esse motor é combinado exclusivamente à transmissão automática de seis marchas com função Tiptronic e aletas (“shift paddles”) para trocas no volante. 

O T-Cross Highline 250 TSI acelera de 0 a 100 km/h em apenas 8,7 segundos e atinge a velocidade máxima de 198 km/h – com gasolina ou etanol. 

O T-Cross Highline 250 TSI também é eficiente no consumo de combustível, percorrendo 11 quilômetros com um litro de gasolina na cidade e 13,2 km/l na estrada. Com etanol, são 7,7 km/l na cidade e 9,3 km/l na estrada. O tanque de combustível do T-Cross tem capacidade para 52 litros. 

FREIOS E SUSPENSÕES 

O modelo tem freios a disco nas quatro rodas como item de série. Os discos terão 276 mm de diâmetro nas rodas dianteiras e 230 mm de diâmetro nas rodas traseiras. 

As suspensões do T-Cross têm configuração dianteira independente tipo McPherson e interdependente na traseira, com eixo de torção. 

DIMENSÕES 

O T-Cross mede 4.199 mm de comprimento e 1.568 mm de altura (9 mm mais alto que o T-Cross europeu. Na versão Highline 250 TSI, são 11 mm a mais, com 1.570 mm). A distância entre os eixos do modelo produzido no Brasil é também maior: 2.651 mm (88 mm a mais do que a distância entre-eixos do T-Cross europeu). 

O T-Cross Highline 250 TSI pesa 1.292 kg em ordem de marcha, com capacidade para 448 kg de carga útil. 

A capacidade do porta-malas do T-Cross é variável entre 373 e 420 litros. O encosto rebatível do banco do passageiro dianteiro oferece ainda mais flexibilidade. 

TECNOLOGIA 

Assim como o Virtus, o Tiguan Allspace e o Novo Jetta, o T-Cross também será o primeiro modelo em seu segmento no Brasil a oferecer o “Manual Cognitivo” – que usa IBM Watson para responder ao motorista questões sobre o veículo, incluindo informações contidas no manual do carro. Essa solução permite uma nova forma de interagir com o veículo e oferece uma nova experiência tecnológica. 

SEGURANÇA 

Graças à Estratégia Modular MQB, o SUV Volkswagen T-Cross é um dos veículos mais seguros de sua categoria– o que é garantido pela utilização de aços de ultra-alta resistência e conformados a quente, pelos seis airbags (dianteiros, laterais e do tipo “cortina”) e seus sistemas de assistência. 

Todas as versões são equipadas de série com ESC – Controle eletrônico de estabilidade. Esse sistema reconhece um estágio inicial de que uma situação de rodagem crítica está para acontecer. Compara os comandos do motorista com as reações do veículo a esse comando. Se necessário, o sistema reduz o torque do motor e freia uma ou várias rodas até atingir a condição de estabilidade. O ESC inclui uma série de sistemas de assistência à condução. 

A exemplo de outros modelos fabricados sobre a Estratégia Modular MQB, o T-Cross utiliza aços especiais em sua estrutura. Essa tecnologia colabora para reduzir o peso do veículo, ao mesmo tempo em que melhora seu desempenho em testes de colisão.  
REPARAÇÃO 

Mesmo sem estrear em solo nacional, o T-Cross já conseguiu um grande feito. O SUV foi reconhecido como o utilitário esportivo de menor preço de reparação do Brasil.   

O veículo ficou em 13º (o melhor entre os SUVs) no ranking Car Group, realizado pelo CESVI Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária).  

Além do T-Cross, outros veículos da Volkswagen são campeões em suas categorias. São eles: Virtus, Up!, Up! Cross, Novo Polo, Saveiro e Space Fox. 

Comentários