Oficina Brasil


Autopromotec – Confira tudo o que aconteceu na Feira de Bologna, na Itália

Fique por dentro do que rolou em mais uma edição da feira com muita tecnologia e indicação de tendências do evento na visão do nosso colaborador, o professor Scopino

Compartilhe
Por Pedro Luiz Scopino


Avaliação da Matéria

Faça a sua avaliação

5

A Autopromotec é a feira internacional de equipamentos automotivos e de reposição que ocorre a cada dois anos no Centro de Exposições de Bolonha.
Fundado em 1965, o evento é organizado pela Promotec, uma empresa de serviços pertencente à AIRP - a Associação Italiana de Reconstrutores de Pneus, e à AICA - a Associação Italiana de Fabricantes de Equipamentos Automotivos.
Sua fórmula exclusiva é baseada na especialização, no profissionalismo e na qualidade da oferta da exposição, um verdadeiro ponto de encontro entre fabricantes e usuários.
A feira - que inclui mais de 580 categorias de produtos, abrangendo todos os subsetores do mercado de reposição - assume a forma de uma seleção de feiras especializadas, onde os visitantes podem facilmente planejar rotas de mercadorias personalizadas de acordo com interesses profissionais.
Graças a uma intensa atividade promocional, apoiada tanto a nível institucional como por associações setoriais, a Autopromotec registrou, durante suas 27 edições.
A delegação brasileira esteve presente na Autopromotec 2019, para a campanha para a promoção internacional da Autopromotec e toda a cadeia de reposição automotiva promovida pela região Emilia-Romagna, situada no Norte da Itália, junto com mais de 40 representantes da América do Sul para a feira, além do Brasil, ainda a Argentina, Colômbia e Chile.

 

PAVILHÕES

Foram 14 pavilhões totalmente ocupados por expositores.
Um dos mais movimentados era o de equipamentos de diagnóstico com diversos modelos de scanners automotivos, programadores de módulos de motor e transmissão, equipamentos de testes e limpeza em injetores GDI (gasolina injeção direta) e Diesel.
Destaque para algo ainda pouco falado no Brasil, a maioria dos equipamentos de teste, recolha e carga de ar condicionado, são para o gás R1234yf, praticamente não se fala mais em gás R134A por aqui, no mercado brasileiro.
Um pavilhão era exclusivo para fabricantes de lubrificantes, e outro de compressores, um apenas de elevadores de linhas leve e pesada, e cabines de pintura.
Uma área bem concorrida e sempre cheia, era o pavilhão de componentes (fabricantes de peças), rede de Serviços (Euro Repar) e clube de compras, muito forte na Itália a união de fabricantes em um varejo forte.


AREA EXTERNA COM EXPERIÊNCIA REAL

Na área externa havia exposição de modelos de guinchos tradicionais e modelos plataforma, e  alguns modelos de elevadores.
Mas o destaque ficou com uma experiência real em um circuito fechado e controlado com testes reais, onde o visitante pode comprovar como passageiro, quatro sistemas de segurança  ativa no tema Mobilidade Inteligente e Autônoma.
ACC Inteligente – sistema de piloto automático (Control Cruize), onde um reboque puxa um balão de ar em formato de um carro, a 30 km/h seguimos o carro a uma distância de 20 metros e é acionado o piloto automático ACC, conforme o reboque faz curvas e aumenta e diminui a velocidade, nosso carro inteligente faz o mesmo, ou seja, não é preciso desligar e depois religar o piloto automático, ele se adapta ao carro à sua frente, e em uma reta no circuito ocorre uma frenagem brusca, e nosso veículo inteligente para totalmente sozinho. Portanto além de piloto automático inteligente já testamos o freio de emergência autônomo.
No segundo teste, em manobras dentro de um supermercado, no mesmo formato com balões de ar simulando caixas, mercadorias e um carrinho cheio de compras. Neste teste foi uma simulação real em manobras, em marcha a ré, aparece no painel de instrumentos dividido em imagem de carro em 3D e uma perfeita câmera de ré. E a frenagem autônoma funciona novamente, acionando o freio sozinho centímetros antes do para-choque traseiro bater no carrinho cheio de compras.
O terceiro teste, com mais emoção, pois a velocidade chegou a 60 km/h em uma provável colisão a 50 graus, como se fosse uma mudança de pista repentina. E com toda a segurança, o veículo mais uma vez parou sozinho, parando a poucos centímetros do carro (balão de ar) e o piloto de testes ainda estava com a perna direita dobrada, pra comprovar que ele em momento nenhum pisou no pedal de freio.
E para finalizar, aquela dúvida? Será que o sistema ADAS funciona mesmo sem a luz, em locais mais escuros como os vários túneis italianos? Vamos ao teste, agora dentro de um ambiente totalmente escuro, ao entrar foi possível ver um caminhão parado a cerca de 80 metros, e o piloto acelerou e mais uma vez, o carro parou sozinho com toda a segurança.
Ou seja, o carro quase que totalmente autônomo está sendo formado em partes, que estão sendo unidas junto com toda essa tecnologia, e vai sendo construído sistemas e tendências de nosso mercado e seu futuro.

TECNOLOGIA

Na sempre importante tecnologia no setor automotivo, sem dúvidas, o foco principal na Europa é a mobilidade inteligente, carros mais seguros, e maior complexidade na reparação.
Em destaque,  o sistema ADAS de frenagem autônoma estava em vários estandes com os excelentes equipamentos de calibração de seus sensores e câmeras, um sistema ainda com pouca aplicação no Brasil, mas que será obrigatório para todos os modelos na Europa em poucos anos, que consiste  em um sistema integrado e inteligente, que através de várias medições de obstáculos se tem a formação de uma imagem virtual do veículo, como se acima do veículo existisse um drone filmando o tempo todo, e tudo que se aproxima do veículo, assim com a integração com os sistemas ABS, ESP e EPS (freio antiblocante, controle de estabilidade e assistência a direção elétrica) o veículo freia sozinho em velocidades de 8 a 80 km por hora. A manutenção consiste além de troca de sensores, troca de para-brisas, em sua calibração com equipamento específico e devidamente habilitado para essa importante tarefa.
Assim com um equipamento extremamente preciso e um programa eletrônico, é ajustado o sinal da câmera frontal, e seus sensores, e com a ligação no conector EOBD é feito esse aprendizado.

ELETRICOS E HÍBRIDOS

Já uma realidade no mercado europeu, mas com poucos carros efetivamente nas ruas, a manutenção teve destaque em kit´s de ferramentas para serviços autorizados de algumas bandeiras de serviços automotivos. Pude observar vários conjuntos com luvas NR10, óculos de segurança, principais ferramentas devidamente com isolamento e multímetro de alta tensão.
Nas ruas italianas, o mais comum são os híbridos, os elétricos ainda são raras exceções.  

Comentários