Oficina Brasil


Renault cresce no território nacional e aumenta participação no mercado com a marca Motrio

Gustavo Ogawa, Diretor de Pós-Vendas da empresa, conta sobre a jornada para consolidação da marca Motrio no Brasil, além da crescente participação da Renault no mercado nacional

Compartilhe
Por Da redação


Avaliação da Matéria

Faça a sua avaliação

3

Gustavo Ogawa, Diretor de Pós-Vendas da empresa, conta sobre a jornada para consolidação da marca Motrio no Brasil, além da crescente participação da Renault no mercado nacional: “Em 2018, a Renault do Brasil alcançou a melhor marca em participação de mercado de sua história, com 8,7% de market share”. Confira o bate-papo de Ogawa com o Jornal Oficina Brasil

Oficina Brasil: Há quanto tempo você está na empresa? Conte-nos um pouco sobre sua trajetória profissional. 
Gustavo Ogawa: Iniciei na Renault como gerente de marketing pós-venda responsável pela região América Latina. Desde outubro de 2018 estou na Diretoria de Pós-Vendas da Renault no Brasil.
Na minha carreira, já acumulei experiências em outros setores com passagens pela Shell Lubrificantes, cartões de crédito Itaú Unibanco até entrar no mercado automotivo na Ford Motor Company, implantando os serviços de garantia estendida e sendo o responsável pela estratégia da linha Motorcraft.

OB: Quais os desafios do Pós-Venda Renault?  
Desenvolver uma jornada completa com nosso cliente provendo serviços, dentro de nossa rede de concessionários, e peças genuínas Renault/Motrio para todos os clientes de um veículo Renault. Nosso objetivo é atender nossos clientes independentemente de onde ele realizar seus serviços ou comprar seus produtos. Para essa visão se concretizar contamos com muitos investimentos na digitalização dos processos, capacitação da nossa rede de concessionários e um portfólio de peças competitivo.

OB: Qual o momento atual da marca? Superação, estabilidade, crescimento? Explique para o leitor como o grupo está posicionado no mercado e quais as perspectivas da empresa para o ano de 2019? 
Em 2018 a Renault do Brasil alcançou a melhor marca em participação de mercado de sua história, com 8,7% de market share, e esse ano estamos na 4ª posição no mercado, com os resultados acumulados até abril. Esse crescimento vem acontecendo de forma contínua desde 2010, o que nos leva a um parque circulante cada vez mais relevante, com uma projeção para alcançar 6% da frota circulante no país ao final de 2019.
Nesse cenário de crescimento, além de construir uma experiência diferenciada em nossa Rede de Concessionários, é fundamental ter serviços e produtos competitivos para o reparador independente, aí entra em cena a estratégia global da Renault com a marca Motrio, que na França já completou 20 anos.
Dessa forma a Renault se divide em 2 marcas no pós-venda, (i) uma são as peças genuínas geradas na concepção do veículo, e a outra toda a linha Motrio, que são peças da primeira linha do mercado 100% homologadas pela nossa Engenharia.
No Brasil a marca Motrio foi lançada em 2013 e desde então vem ganhando mais espaço nas prateleiras do mercado independente, contando com peças Renault e também multimarcas.

OB: Acompanhamos algumas iniciativas da Renault para lançar a marca Motrio no Brasil, ao longo dos últimos anos. Qual a estratégia atual para esta marca? 
Estamos trabalhando para manter o crescimento contínuo da marca Motrio no Brasil, esse trabalho tem como objetivo ganhar conhecimento através de uma chancela de qualidade da peça e se conectar com o mercado divulgando conhecimento técnico para os reparadores independentes. 
A Motrio possui qualidade aprovada pelo mesmo time de engenharia da Renault, isso é uma das premissas deste projeto.  Essa mensagem é chave para o mercado, pois o mesmo time responsável por aprovar as peças genuínas Renault também é responsável por aprovar as peças Motrio. 
Da mesma forma que o mercado vem ganhando novos Canais de venda, no segundo semestre de 2018 lançamos nossa loja virtual no Mercado Livre, onde os concessionários colocam produtos sempre a pronta-entrega. Hoje nós temos mais de 20.000 ofertas no site com ótima classificação de todos os concessionários que operam a plataforma.
Mapeamos isso com o time de força de vendas nacional. Essa equipe monitora a nossa loja e entra em contato com 100% dos concessionários para que eles tenham a aderência correta e proporcionem a máxima satisfação dos clientes.

OB: Qual a estratégia do grupo no trabalho dos reparadores?  
O reparador independente é nosso principal foco do nosso crescimento no Brasil nos próximos anos. A venda para eles está dentro do nosso plano estratégico.
Nós temos uma gerência de força de vendas que é focada na consultoria do concessionário para atender esse mercado. Ele é um consultor de vendas que ajuda na gestão de nossa Rede de concessionários a atender esse mercado

OB: Como a empresa enxerga o reparador independente? Quais são os facilitadores para o trabalho da categoria? 
Quando falamos sobre pós-venda no Brasil, o mercado de reposição independente é essencial e a Renault sabe da importância. Por isso, estamos estruturando a nossa Rede de concessionários para atuar com consistência e foco nesse mercado. 
Em paralelo iremos também apoiá-lo com know-how, compartilhando o conhecimento da montadora. Esses são os principais esforços nesta primeira etapa trazendo atendimento, treinamento e subsídio de informação técnica. A Renault quer se posicionar como porto seguro do reparador independente quando se fala em formação técnica de nossos veículos. 

OB: O que a Renault tem feito para se destacar das outras montadoras em um mercado extremamente competitivo? 
Temos desenvolvido várias ações para conquistar nosso espaço nesse concorrido mercado. Desde 2018, por exemplo, começamos uma iniciativa de Feirões de Peças dentro das concessionárias, sempre desenhados com algum modelo de formação técnica. A importância dessa atividade é justamente estreitar o elo entre concessionária e o reparador independente. 
Nesses eventos, sempre realizados em uma concessionária Renault, são oferecidos cursos com formação técnica e condições especiais para compra do reparador independente.
Para 2019 vamos ampliar a estratégia, aumentando a frequência, de uma maneira sistemática nas grandes regiões do país, através do nosso mailing iremos iniciar uma comunicação dirigida com informações técnicas e ofertas.

OB: Muito se tem discutido sobre o avanço de veículos híbridos e veículos elétricos. Como a empresa tem se posicionado globalmente sobre o tema?  
Estamos vendo uma transformação da indústria automobilística, com os carros elétricos, autônomos e compartilhados, e a vantagem de fazermos parte do maior grupo da indústria automotiva, aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, é ter escala para poder investir em novas tecnologias.
Desde o fim do ano passado, a Renault tem vendido o seu carro elétrico Zoe no País. A primeira leva de 20 veículos já foi vendida e uma segunda será trazida em breve. Dentro desta estratégia a Renault vem diversificando e esse veículo é o protagonista de um outro projeto de compartilhamento na sede do Cubo, braço de apoio a startups do Itaú, em São Paulo. O projeto de compartilhamento da Renault envolve um aplicativo desenvolvido pela empresa Joycar, que faz parte do Cubo. 

OB: Use este espaço para deixar um recado da empresa para nosso leitor. 
A Renault está trabalhando continuamente para aprimorar seus serviços de pós-venda. Nosso objetivo é facilitar cada vez mais a jornada dentro de nossa marca, independentemente de onde o cliente busque nossos produtos e serviços. 
Para os reparadores independentes, nosso foco é prover informação e produtos de qualidade competitivos, além de construir uma nova experiência entre o relacionamento deste mercado com nossa Rede. 

 

Comentários