Oficina Brasil


O Mercado somos nós!

Quando Luiz XIV (o Rei Sol) declarou o “L’Étatc’est moi” (o Estado sou Eu) num arroubo típico do auge do absolutismo, na prática se referia a uma realidade fruto de seu poder sobre todas as esferas políticas daqueles longínquos séculos XVII e XVIII.

Por Cássio Hervé

Deixando a História de lado por um momento e focalizando nosso mercado de reposição, uma notícia recente reforçou a situação privilegiada do jornal Oficina Brasil como o caminho mais eficiente para atingir este segmento.

Sustenta esta realidade um trabalho recentemente divulgado pelo SINDIREPA-NACIONAL, dando conta que o número de oficinas independentes (dedicadas ao reparo mecânico de automóveis e comerciais leves) é de 76.429 estabelecimentos conforme os dados relativos ao ano de 2014. (Para maiores esclarecimentos sobre estes números veja a matéria especial na página 34).

Por outo lado, quando confrontamos o número de 43.000 oficinas que – comprovadamente – recebem o jornal Oficina Brasil, e fruto de um rigoroso processo de seleção que exige além do CNPJ e foto com geoposicionamento pelo Google, fica claro que nossa publicação cobre 56% deste universo.

Os números atuais do SINDIREPA-NACIONAL jogam luz numa antiga discussão do nosso mercado que começava pelo seu dimensionamento, ou seja, ninguém sabia exatamente o tamanho deste mercado. Sem dados exatos ficava difícil mensurar a demanda de peças em nosso aftermarket, pois como sabemos ela nasce na oficina mecânica e a ausência deste dado primordial, inviabilizava uma conta definitiva.

Inúmeras vezes a equipe da CINAU – como num desafio de solucionar uma equação do segundo grau – chegou a estimar o número de estabelecimentos de reparo a partir de dados da frota (este disponível), do número médio de passagens das oficinas (o tal número “PI” sintetizado pela CINAU), entre outros dados, chegando a uma quantidade muito próxima a esta que agora é confirmada como oficial. Porém, ainda que muito bem fundamentada, tratava-se de mais uma estimativa.

A partir de agora não temos mais a necessidades de desenvolver cálculos e modelos estatísticos complexos para estimar: simplesmente passamos a trabalhar em cima de números oficiais, e neste sentido nós do Oficina Brasil ficamos muito satisfeitos pois a partir de nossa estimativa, divulgamos na capa de nossa publicação um selo que indicava que atingíamos 54% do mercado, em verdade – e agora de forma comprovada – atingimos 56%!

Isso prova que a CINAU conhece profundamente o mercado de reposição e seus estudos, guardam muita acuidade, e no nosso caso – apesar do inequívoco apelo de marketing desta informação – fomos conservadores em nossa estimativa.

Em uma análise minuciosa e acurada do estudo sobre os números de oficinas no Brasil divulgado pelo SINDIREPA-NACIONAL, encontramos ainda um percentual relevante de estabelecimentos operando na condição de Micro Empreendedores Individuais - MEI (empresas não assinantes do jornal Oficina Brasil). Podemos deduzir que graças ao criterioso sistema de concessão de assinatura “nossas” 43.000 oficinas (ou 56% do mercado) compõem um grupo diferenciado e com maior capacidade de gerar demanda de peças (um pouco do princípio 80/20).

Neste novo cenário, agora oficial, do número de oficinas podemos fugir um pouquinho da tradicional parcimônia, cautela e precisão da CINAU e parafraseando o Rei Sol, dizer: “O Mercado somos nós!”!

Aproveite mais esta edição do Jornal Oficina Brasil para compartilhar com quase 60% do mercado de reposição as preciosas informações que chegam hoje às suas mãos.

Cássio Hervé
Diretor

 

Comentários