Oficina Brasil


Gm Ônix 2015 com falha no vidro elétrico

O veículo da montadora americana foi levado à oficina pois não estava funcionando o vidro direito traseiro

Compartilhe
Por Da Redação


Avaliação da Matéria

Faça a sua avaliação

DIAGNÓSTICO

Após ouvir atentamente o relato do cliente o reparador partiu para o planejamento de seu plano de ação com o passo a passo das análises que iria realizar a fim de identificar o motivo pelo qual o vidro traseiro direito não estava funcionando. Para tanto, reuniu todas as informações pertinentes ao caso, como o esquema elétrico do veículo para ver posicionamento dos fusíveis, conectores, cores dos fios,  função de cada terminal do conector dos vidros, bem como interpretar as ligações entre os componentes  com o intuito de entender o funcionamento de subida e descida dos vidros, sem falar nas  informações mais básicas, porém necessárias, como detalhes sobre a desmontagem dos botões dos vidros com o objetivo de realizar a desmontagem de forma mais fácil possível sem causar danos ao veículo. 

Com estas informações em mãos, pensou cuidadosamente quais os primeiros testes que iria realizar tendo como critério a rapidez na execução, assim como sua assertividade, sempre partindo do mais simples para o mais complexo sem esquecer de ser ater aos detalhes de cada verificação e, sobretudo, não deixar de realizar nenhum teste que poderia solucionar o caso.

Assim, após criar seu mapa do diagnóstico, iniciou a intervenção no veículo seguindo rigorosamente seu planejamento.

O primeiro item que constava em seu roteiro era a inspeção visual do conector do vidro que apresentava falha, com o intuito de observar alguma irregularidade em sua fixação, assim ao remover os botões do vidro do forro da porta e analisar a qualidade da fixação do conector, identificou facilmente, para sua alegria, que o mesmo estava solto então bastou reconectá-lo para que o vidro elétrico problemático voltasse a funcionar corretamente. 

Entretanto, o que parecia ser um diagnóstico rápido e assertivo, transformou-se em algo mais complexo, pois antes de entregar o veículo ao proprietário o técnico realizou uma revisão no funcionamento dos demais vidros elétricos e constatou que os vidros dianteiros pararam simplesmente de funcionar, o que o deixou surpreso já que antes do reparo do vidro traseiro os demais estavam funcionando perfeitamente.

Diante dessa nova situação, o reparador aproveitou os itens presentes em seu plano de ação para o problema anterior agora já resolvido, para colocá-los em prática nesse novo cenário, desta forma, ao observar qual seria seu próximo passo, viu que teria que analisar o estado dos fusíveis que protegem o chicote dos vidros dianteiros, ao fazê-lo confirmou que todos estavam em perfeito estado. A fim de garantir que não estaria diante de um problema similar ao do vidro traseiro, removeu os botões das portas dianteiras para ver possíveis irregularidades em sua fixação 

Diferente do caso solucionado os conectores estavam bem fixados, o que levou o técnico a pedir ajuda aos colegas do Fórum Oficina Brasil.  Ao pedir ajuda, fez questão de informar todos os detalhes, tomando cuidado para não omitir nenhuma informação que poderia ajudá-los a compreender a situação e auxiliá-lo da melhor forma possível.

Como de costume após sua postagem, não demorou muito para surgirem as primeiras dicas e sugestões. O primeiro colega a colaborar destacou que estes carros mais novos têm que fazer a codificação via scanner caso contrário eles não funcionam mesmo o sistema elétrico estando em perfeito funcionamento.

SOLUÇÃO

Ao receber esta valiosa informação o técnico realizou algumas pesquisas e descobriu que havia uma forma de fazer a configuração dos vidros sem scanner já que o seu não tinha essa função. Realizou o procedimento de configuração manual e para sua satisfação os vidros voltaram a funcionar perfeitamente. 

Comentários