Oficina Brasil


Amarok 2010 arrebentando a correia do alternador

Saiba como foi resolvido o defeito do modelo da Volkswagen

Por Da Redação

Defeito: A caminhonete da Volkswagen chegou na oficina com a correia do alternador arrebentada e segundo o manual do veículo não estava fora do período de troca. O reparador achou bem estranho ter acontecido este fenômeno, portanto, além da troca da correia, iniciou o diagnóstico para descobrir o motivo do rompimento. 

Diagnóstico: Iniciando o diagnóstico ele encontrou a polia catraca do alternador travada, diante disso, trocou o componente e concluiu que realmente este era o defeito do rompimento. Em seguida o veículo foi entregue ao cliente, mas após uma viagem de 2.000 km, a correia arrebentou novamente.  

Com o carro na oficina, o reparador resolveu conferir de novo todas as polias detalhadamente, mas concluiu que não havia nada de errado. Como parte dos testes, acabou trocando o tensor automático da correia e após 300 Km rodados a correia arrebentou de novo. Encucado com a situação, suspeitou da má qualidade da marca. O reparador estava utilizando a marca Contitech Elite.  

Sem saber para onde correr, o reparador decidiu buscar algumas informações no seu aplicativo Fórum Oficina Brasil. No tópico sobre o defeito, alguns reparadores acharam estranho a correia arrebentar depois da troca da polia, que geralmente causa este defeito. Outro reparador também alertou sobre a polia da bomba hidráulica, que pode estar com desgastes acentuados, gerando a degradação prematura da correia. Outro companheiro de profissão comentou que já pegou casos semelhantes de ter a quebra do parafuso de fixação do tensor da correia, e neste caso para trocá-lo é necessário remover o alternador, bomba hidráulica e o suporte do coxim do motor para a substituição. Quando quebram, geram vibrações e até se infiltram no interior da correia causando o desgaste. 

O reparador achou melhor realizar mais uma vez a troca da correia, mas dessa vez por um original da mesma marca. O cliente reclamou um pouco sobre o valor, mas soube reconhecer que as outras paralelas não eram de qualidade.  

Ficou a reflexão, como uma correia de marca conhecida, sem qualidade, é vendida no mercado. Talvez seja mais um cliente enganado no mercado, se tratando de uma correia falsa vendida em uma embalagem original, ou até mesmo, defeito no próprio projeto do carro. Realmente ficamos com dúvidas nessas situações.  

Em um processo de análise, foi comparada a correia original com a paralela, ambas Contitech, a diferença ficou nítida na qualidade das borrachas, apesar de ser do mesmo fabricante descrito na embalagem. 

Solução: Após a compra da correia original direto da Alemanha, foi instalada no veículo e devolvido para o cliente. Depois de muitas viagens, a correia permaneceu intacta e sem desgastes. Portanto, problema resolvido. 

Infelizmente todos permanecem com a alta desconfiança das peças comercializados no mercado brasileiro. 

Comentários