Oficina Brasil

Publicidade

Fri10312014

Última atualização08:16:29 PM GMT

Saiba como realizar a limpeza do sistema de ar condicionado - Parte 1

Avaliação do Usuário: / 4
PiorMelhor 
  • Anterior
  • 1 of 14
  • Próximo

Muitos reparadores solicitam informações para realizar a limpeza de sistema de ar condicionado , processo conhecido como "Flush".  O colaborador Ishi elaborou algumas importantes dicas

Limpeza do sistema, também conhecida como "Flush", é um procedimento minucioso utilizado para retirar o óleo contaminado das paredes internas dos tubos e mangueiras do sistema de ar condicionado automotivo.

O "Flush" não deve ser confundido com limpeza do sistema de ventilação, dutos, ventilador, difusores, evaporador etc. Esta é outra limpeza.

Nos sistemas de ar condicionado automotivo, os compressores necessitam lubrificantes especiais para reduzir o desgaste de suas partes móveis. Na linha automotiva, a quantidade deste óleo geralmente varia entre 140 a 300 ml de óleo P.A.G (Poli Alquileno Glicol).

Durante o funcionamento normal, nestes compressores que são de cárter aberto, uma parte deste óleo sai do interior do compressor misturado com o fluido refrigerante r134A e circula pelo interior das tubulações, mangueiras, evaporadores, condensador e filtro secador/acumulador, aderindo nas suas paredes internas na forma de um pequeno filme de óleo. Em determinadas situações ou condições de trabalho, este lubrificante pode ficar contaminado.

Consideramos que o óleo está contaminado se ele for exposto á umidade e ou limalhas oriundas do desgaste do compressor.

Como a maioria das oficinas não tem aparelhagem especial para verificar se o óleo está contaminado, na prática podemos perceber se ele ainda está translúcido. No caso de dúvidas, não hesite, faça o procedimento de "flush". (Fotos 1,2 e3)

Sempre que trocar um compressor ruidoso, com desgaste, mesmo que o óleo aparentemente esteja "limpo", faça o "flush". Sempre que fizer o Flush, troque o filtro secador/ acumulador.

No caso de suspeita de óleo em excesso, também deve ser feito este procedimento de "flush".

Em sistemas que trabalhavam com o fluido refrigerante R12, o óleo utilizado era o Mineral 68. Este óleo não se mistura ao R134a, em funcionamento, ele sai do compressor com o R12, mas o R12 não o leva de volta para o compressor. Por isso, se houver traços deste óleo mineral no sistema, deve ser feito o "flush", para só então colocar o óleo PAG e o Fluido R134a.

Um sistema que ficou com uma tubulação rompida, solta, aberta, com entrada de ar, pode ser facilmente contaminado por umidade, pois o ar contém muita umidade. O óleo P.A.G. é higroscópico, ou seja, absorve umidade e, quando isso ocorre, o óleo muda seu pH, tendendo a acidez. Este óleo ácido começa a corroer as partes metálicas internas do evaporador e condensador, podendo causar vazamentos. Corrói também as partes internas do compressor e afeta inclusive a sua lubrificação. O filtro secador/ acumulador também pode ser afetado.

Fluido de limpeza R141b

Para "lavar", retirar este óleo contaminado, é preciso um fluido, um "solvente", capaz de se misturar e dissolver ao óleo PAG, deixando-o menos viscoso e mais fluido para facilitar se soltar das paredes internas das tubulações.

Para os sistemas com R134a, que utilizam óleo PAG, o fluido que se mistura muito bem é o próprio R134a, porém á temperatura e pressão ambiente ele passa para o estado de vapor, o que dificulta sua utilização, além de ser muito caro. Atualmente o fluido é recomendado para fazer o "flush" o Dicloro fluoretano HCFC-141b, que pode ser utilizado no estado líquido á temperatura ambiente, facilitando muito seu manuseio e a eficiência de limpeza.

O R141b, como é normalmente chamado, evapora a cerca de 32°C a pressão ambiente normal. Ele é volátil como se fosse "gasolina pura", porém não é tão inflamável. Sua aparência é transparente e tem cheiro forte que lembra éter.

Este procedimento deve ser feito em ambiente ventilado, evitando-se a inalação dos fluidos envolvidos no processo.

O 141b pode ser comprado a granel (mais caro), em botijões de 13,6kg e tambores de 30kg ou até 200kg. Uma opção é a compra de tambores de 30Kg, pode-se colocar um registro de esfera no bocal e deixá-lo virado, para facilitar a retirada de doses de fluido. (como um barril). (Fotos 4 e 5)

O manuseio deste fluido e todo este procedimento exige a utilização do EPI (Equipamento de Segurança Individual).

Segurança:

Faça em ambiente ventilado e evite a inalação de fluidos vaporizados.

Cuidado, o óleo PAG pode afetar a pintura!

Utilize E.P.I.! (equipamento de proteção individual) Óculos de segurança e luvas.

Este trabalho pode ser perigoso, pois o fluido de limpeza se expande e pode baixar muito a temperatura das partes de contato, podendo causar lesões e queimaduras no corpo, principalmente mãos e olhos!!!

Para fazer o Flush:

O sistema deve estar sem "gás". Se o sistema ainda tiver R134a, recolha com uma recolhedora ou uma recicladora para ser reciclado e reaproveitado (revendido).

O sistema (tubulações) deve ser fracionado. Para uma limpeza mais eficiente, limpe cada componente individualmente. Muitas oficinas desenvolvem ferramentas especiais para isolar os trechos de tubulações e mangueiras, condensador e evaporadores.

Nem sempre é necessário retirar as tubulações e mangueiras do lugar, basta isolar suas pontas com conexões especiais.

Já se encontram no mercado kits com muitas conexões para auxiliar neste procedimento. (Foto 6)

Esses kits também podem ser utilizados para testes de vazamentos com isolamento de linhas.

O compressor e o filtro secador não passarão por este processo!

Se o compressor não for substituído, ele deverá ser aberto, limpo com R141b, trocadas as vedações, (aproveite para trocar o rolamento da polia do compressor), remontado e colocado óleo PAG. em seu cárter de acordo com o tamanho do sistema e recomendação do fabricante. A maioria dos compressores novos já vem com óleo para um carro com um evaporador, neste caso, não é necessário colocar mais óleo, a menos que este compressor seja instalado num equipamento maior que um carro. Então será necessário mais óleo.

O filtro secador/ acumulador sempre será substituído, mas será instalado somente após o "flush".

É recomendado retirar a válvula de expansão, pois ela vai oferecer muita resistência à passagem do Fluido R141b, afetando o desempenho da limpeza.

Muitos carros não têm esta válvula de expansão com um acesso fácil ex.: Uno, L200, Gol G3, Marea, Corolla, etc.

Nestes casos, para não remover o painel para retirar a válvula de expansão, ela fica no lugar. A limpeza deve ser feita com a passagem do fluido nos dois sentidos, (uma vez de cada, fluxo e contra fluxo, ou retrolavagem). Se colocar muita pressão para "empurrar" o fluido pela linha de baixa para a linha de alta, a válvula pode travar até diminuir a pressão. (cerca de 4bar). (Fotos 7, 8 e 9)

Se o sistema for com filtro acumulador e tubo de orifício calibrado, ambos devem ser substituídos. (Fotos 10 e 11)

A recomendação para condensadores multi fluxo é a troca do componente, principalmente nos modelos que têm os filtros secadores já embutidos na lateral do condensador. (Fotos 12, 13 e 14)

Em casos mais extremos, grande quantidade de limalhas não consegue sair de dentro desses condensadores durante a limpeza e, se for montado assim, durante as condições normais de trabalho, elas vão se soltando e contaminando o óleo e saturando o filtro secador, causando problemas ao sistema.

Com o sistema devidamente fracionado e isolado, pode se utilizar um kit que se encontra no mercado para facilitar o procedimento. A garrafa do kit flush já vem com mangueira, bico emborrachado, engate rápido para ligar na linha de ar comprimido e registro de esfera.

O bico emborrachado em forma de cone encaixa em furos de vários diâmetros, facilitando o seu manuseio. (Foto 15)

Pode ser utilizado ar comprimido ou nitrogênio sob pressão.

Atenção, já houve acidentes com morte por estouro da garrafa de R141b destes kits.

A pressão recomendada por alguns fabricantes não deve exceder os 70 psi, cerca de 5bar de pressão no interior desta garrafa (pois ela pode estourar por pressão). Preste atenção à recomendação de pressão do fabricante do seu equipamento (garrafa acumuladora).

Por questões de segurança, utilize sempre uma válvula reguladora de pressão na saída do cilindro de nitrogênio ou na linha do compressor de ar comprimido, limitando a linha a 70 psi (essa pressão para o flush).

Esta mesma válvula reguladora de pressão de nitrogênio será utilizada também para os testes de vazamentos no sistema, porém com uma pressão mais elevada e com outras ferramentas, psi é um outro procedimento. 

Você precisa ser registrado para comentar - Login