Oficina Brasil

Publicidade

Sat11012014

Última atualização08:03:01 PM GMT

Diagnóstico do Câmbio CVT do Honda Fit

Avaliação do Usuário: / 35
PiorMelhor 
  • Anterior
  • 1 of 3
  • Próximo

 

Conforme mencionado no artigo passado, neste número vamos apresentar algumas dicas e procedimentos destinados a facilitar a manutenção básica desta transmissão, presente nos veículos HONDA FIT fabricados a partir de 2003 até 2008.
Ao seguir estes procedimentos, garantimos ao técnico reparador que muitos problemas apresentados neste tipo de transmissão serão solucionados, assegurando a satisfação de seu cliente.

Procedimento para calibração da
embreagem de partida.

Observação: Quando algum dos itens listados a seguir ocorrer, a memória do sinal de controle da embreagem de partida no PCM é apagada. Portanto, o PCM deverá ser memorizado novamente com o sinal de controle para que haja o correto funcionamento da embreagem de partida.
Do contrário, ocorrerão trepidações e trancos, bem como algumas patinações após o funcionamento do veículo.

• Desconexão dos terminais da bateria;
• Remoção do fusível número 20 da ECU (15A) na caixa de fusíveis e relés do painel de instrumentos;
• Substituição da embreagem de partida;
• Substituição do corpo das válvulas de controle;
• Desmontagem e inspeção da transmissão;
• Substituição da transmissão;

Existem dois procedimentos diferentes para realizar a calibração da embreagem de partida. Um dos procedimento é feito enquanto o veículo está parado, ao passo que o outro é feito enquanto o veículo está se movimentando. Cabe ao reparador escolher o método que lhe parecer melhor.
Em ambos os casos, o resultado será o mesmo, desde que sejam seguidas as instruções a seguir.
Procedimento para calibração com o
veículo parado

1. Aplique o freio de estacionamento e calce as quatro rodas do veículo com segurança;
2. Deixe o motor aquecer até a temperatura normal de trabalho, isto é, que o funcionamento da ventoinha do radiador ocorra por duas vezes pelo menos;
3. Certifique-se que a luz de diagnóstico do motor não esteja acesa e que o indicador da posição “D” do câmbio não pisque;
4. Caso a luz de diagnóstico do motor esteja acesa e o indicador da posição “D” pisque, verifique se o sistema de injeção de combustível ou o sistema de controle da transmissão CVT possui algum código de falha, corrigindo se necessário;
5. Desligue a ignição do veículo;
6. Faça uma ponte (“jumper“) entre os pinos 4 e 9 do conector DLC (de diagnóstico do veículo), ligando a seguir o interruptor da ignição, a fim de aterrar o terminal de memória do módulo PCM, conforme a figura 1;
7. Pressione o pedal de freio e mantenha-o acionado até finalizar o procedimento de calibragem;
8. Dê a partida no motor sem cargan e então acenda os faróis. Mantenha os faróis ligados durante a calibragem;
9. Coloque a alavanca seletora do câmbio na posição “N” e, em seguida, mude para as posições “D”, “S”, “L”. Feito isso, volte para as posições “S”, “D” e “N”.
Isso deve ser feito até 20 segundos após ligar o motor. Lembre-se de manter a alavanca seletora parada em cada posição. Repita essas mudanças duas vezes;
10. Verifique se o indicador da posição “D” acende por um minuto com a alavanca seletora na posição “N”, apagando logo em seguida;
11. Se o indicador da posição “D” piscar sem acender,  ou então acender e permanecer aceso, não apagando após um minuto, desligue a ignição e reinicie os procedimentos a partir da etapa 6;
12. Coloque a alavanca seletora na posição “D” e verifique se o indicador da posição “D” acende por dois minutos e então se apaga;
13. Se o indicador da posição “D” piscar sem acender,  ou se acender e permanecer aceso, não desligando após um minuto, desligue a ignição e reinicie os procedimentos a partir da etapa 6;
14. Desligue o interruptor da ignição;
15. Retire o pé do freio;
16. Faça um teste de rodagem com o veículo para verificar se não ocorre nenhum problema no sistema de controle da embreagem de partida, tais como trancos, trepidações em retomadas ou patinações.

Procedimento para
calibração com o
veículo em movimento

1. Deixe o motor aquecer até a temperatura normal de trabalho, isto é, que o funcionamento da ventoinha do radiador ocorra por no mínimo duas vezes;
2. Desligue o motor e, em seguida, dê a partida sem carga. Acenda também os faróis;
3. Saia com o veículo com alavanca seletora do câmbio na posição “D” e dirija até que atinja uma velocidade constante de 60 km/h.
Retire o pé do acelerador, deixando a velocidade diminuir naturalmente por mais de 5 segundos, sem contudo pressionar o pedal de freio;
4. Repita este procedimento pelo menos 5 vezes consecutivas;
5. Faça um teste de rodagem com o veículo para verificar se não ocorre nenhum problema com o sistema de controle da embreagem de partida, como trancos, patinações ou trepidações em retomadas.

Inspeção do
nível do fluído ATF

OBSERVAÇÃO: Mantenha a área de trabalho livre de sujeira, pó e partículas estranhas.

1. Aqueça o motor à temperatura normal de trabalho para que ocorra o funcionamento da ventoinha do radiador pelo menos duas vezes;
2. Estacione o veículo sobre uma superfície plana e desligue o motor;
3. Remova a vareta medidora (argola amarela) do nível de fluído da transmissão automática (ATF) e limpe-a com um pano limpo isento de fiapos ou um pedaço de papel, conforme a figura 2;
4. Insira a vareta medidora na transmissão novamente;
5. Remova a vareta e verifique o nível de fluído um minuto depois de desligar o motor.
O nível de fluído deverá estar entre a marca superior (A) e a marca inferior (B) na indicação HOT (quente), conforme a figura 3;

OBSERVAÇÃO: Se o nível estiver acima da marca superior (A), remova o excesso de fluído.

6. Se o nível estiver abaixo da marca inferior (B), verifique se não há vazamentos de fluído na caixa de transmissão, nas mangueiras do radiador do ATF, nas linhas ou nas conexões;
7. Adicione o fluído para transmissão automática CVTF-1 genuíno HONDA na abertura do tubo guia da vareta medidora até que atinja o nível superior.
Lembre-se que a utilização de fluído diferente do original HONDA poderá causar alteração no atrito do componentes, gerando dificuldade de engate, patinação e danos irreversíveis à transmissão, conforme a figura 4;
8. Insira novamente a vareta medidora no tubo guia.

Troca do ATF

OBSERVAÇÃO: Mantenha a área de trabalho livre de pó, sujeira e partículas estranhas.

1. Estacione o veículo sobre uma superfície plana;
2. Remova o bujão de drenagem e esgote o fluído da transmissão automática, conforme a figura 5;
3. Reinstale o bujão de drenagem do fluído, substituindo a nova arruela de vedação por uma nova;
4. Reabasteça a transmissão com fluído CVTF-1 original HONDA, através do tubo guia da vareta medidora, até atingir a marca superior.
Lembre-se de que a utilização de fluído não original HONDA poderá comprometer a vida útil da transmissão;

Capacidade do fluí­do da
transmissão automática
CVT

• 3,2 litros na troca
• 5,4 litros na desmontagem e inspeção

5. Verifique o nível do fluído. Esse deverá estar entre as marcas superior (B) e inferior (C) na indicação COLD (frio).
6. Insira novamente a vareta medidora no tubo guia.

Com essa série de artigos, esperamos ter contribuí­do para que os técnicos reparadores possam executar serviços de qualidade nos veículos equipados com transmissão automática entregues aos seus cuidados.
No próximo mês teremos mais novidades.
Fique atento!
Até lá, um ótimo mês de trabalho a todos!

Você precisa ser registrado para comentar - Login