Oficina Brasil

Publicidade

Sat09202014

Última atualização11:15:40 PM GMT

Parte 3 – Motor de partida: testes e diagnósticos

Avaliação do Usuário: / 51
PiorMelhor 
  • Anterior
  • 1 of 14
  • Próximo

Nas edições anteriores alguns colegas reparadores ficaram assustados ao se deparar com o motor de partida do Volkswagen Fusca utilizado nas explicações. Informo a vocês que o objetivo foi este mesmo, ou seja, causar impacto e chamar a atenção de que o princípio de funcionamento é o mesmo dos que são utilizados nos demais veículos em circulação.

Para encerrar esta série de três matérias sobre os motores de partida, mostraremos agora o modelo fabricado pela Delco Remy, que equipa a família Corsa moderna, dotado de sistema planetário e imã permanente ao invés da antiga bobina de campo.


Ao invés da antiga bobina de campo, os motores de partida modernos utilizam imã permanente


Para seguir as tendências modernas, os motores de partida também foram reduzidos

Mudanças estruturais
Você deve ter notado que os motores de partida estão cada vez menores e mais leves. O motivo disso é que o motor de partida serve apenas para ligar o veículo, e após o motor a combustão entrar em funcionamento, o equipamento não tem mais função. Por isso a indústria busca equipamentos mais leves, além de facilitar o trabalho do reparador. Por exemplo, um motor de partida que antigamente pesava cerca de 24 kg está sendo substituído por um de 12 kg em alguns caminhões, sendo que a mesma força (torque) é alcançada no bendix (impulsor).

Para dar partida é muito mais necessário que o motor tenha torque do que velocidade e nos motores elétricos em geral, essas duas grandezas (velocidade e força, ou rotação e torque respectivamente) são inversamente proporcionais, ou seja, se um motor tem alta velocidade, ele tem baixo torque. O que acontecia anteriormente é que para ter um motor de partida com torque, era necessário que o mesmo fosse obrigatoriamente de maior tamanho.

Para eles ficaram menores e com o mesmo rendimento foram adotadas duas grandes mudanças: primeiro houve a substituição por metais mais leves, como o alumínio. Depois, no final da década de 90, o motor passou a ter uma caixa de redução planetária internamente que reduz a velocidade, fazendo com que o motor ganhe força (torque). Com isso, o eixo do induzido interno passou a ser menor e conseqüentemente mais leve também.

A redução na maioria dos motores de partida produzidos pela Delco Remy é de 6:1, ou seja, a cada seis giros no induzido, o bendix gira somente uma vez. Repare que o barulho dos motores de partida com redução planetária é mais agudo e veloz. Isso é conseqüência da rotação mais alta do induzido. Sem o sistema de redução, não haveria torque suficiente para provocar o funcionamento do motor à combustão interna.
Dica: É sempre importante realizar a manutenção utilizando as peças originais indicadas pelo fabricante do motor de partida presentes nos kits. Um exemplo é ao substituir o automático. No de alguns fabricantes é necessário utilizar os parafusos novos do kit, pois o furo do automático não possui rosca, sendo que esta é feita pelos próprios parafusos presentes no kit.

Na reparação os modelos novos seguem os mesmos moldes dos motores de partida antigos, onde se podem comprar as peças avulsas para efetuar a manutenção.


Passo 1


Passo 2


Passo 3


Passo 4


Passo 4


Passo 5


Passo 6


Passo 7


Passo 8


Passo 9

Passo 10


Passo 11

Desmontagem motor moderno
1º Passo: Soltar o rabicho do porta escovas
2º Passo: Soltar os parafusos torx do automático
3º Passo: Soltar os dois parafusos torx do porta escovas (Dica: em caso de substituição, adquira o porta escovas completo)
4º Passo: Soltar os dois prisioneiros de 10 mm laterais do corpo do motor de partida (segurar com uma das mãos para baixo o corpo e com a outra mão remova a tampa)
5º Passo: Remova o imã permanente/corpo e o induzido
6º Passo: Remover o porta escovas do imã permanente
7º Passo: Remover a capa metálica/tampa da planetária
8º Passo: Remover as borrachas de vedadoras
9º Passo: Remover a planetária completa junto com o garfo e as três engrenagens
10º Passo: Com cuidado apóie o eixo na morsa para a remoção da trava limitadora do bendix (Utilize um tubo metálico, um martelo e uma chave de fenda grande conforme as imagens)

Obs: Este procedimento somente deverá ser efetuado se o problema estiver no bendix ou planetária!

A montagem deverá ser efetuada na ordem inversa da desmontagem.
11º Passo: Por último com o motor de partida completamente montado, faça o teste de bancada, simulando as ligações do veículo, para ter a certeza que o equipamento apresenta o perfeito funcionamento.

Dicas:

- Ao instalar a trava limitadora do bendix, esta deverá girar livremente
- As planetárias deverão ser lubrificadas com graxa a base de sabão de lítio na montagem
- Os testes e diagnósticos a serem realizados neste motor de partida (do tipo moderno), são os mesmos apresentados nas duas matérias anteriores.

 

Você precisa ser registrado para comentar - Login