Oficina Brasil

Publicidade

Sat07262014

Última atualização08:45:16 PM GMT

Chevrolet Meriva é bom, mas não é perfeito

Avaliação do Usuário: / 165
PiorMelhor 
  • Anterior
  • 1 of 22
  • Próximo
De manutenção simples, alguns problemas fáceis de resolver ainda deixam reparadores de cabelo em pé

Projetado exclusivamente por designers brasileiros e europeus (em parceria com a Opel) o Chevrolet Meriva foi lançado em agosto de 2002 e passou pelo crivo dos reparadores mais uma vez nas páginas do jornal Oficina Brasil, porém agora com mais dicas relacionadas ao sistema de gerenciamento do motor e injeção.

O modelo escolhido para o teste foi avaliado na oficina Engin Engenharia Automotiva, pertencente ao engenheiro me­cânico e conselheiro editorial do jornal, Paulo Aguiar.

Produzido em 2007 e equipado com o motor de 1.8 litro, 8 válvulas Flexpower, 55 mil quilômetros rodados e câmbio manual, os principais motivos que justificaram a ida a oficina foram ruídos na região do motor, embreagem no final de vida útil e um ‘tec tec’ no momento de movimentar a alavanca seletora de marchas.

Check List
Para orientação e seqüência dos principais itens a ser revisados, o Check List da Agenda do Carro foi utilizado. Ele está disponível gratuitamente para download no site
http://www.oficinabrasil.com.br/agenda-do-carro.html.

Dica
Segundo o conselheiro André Bernardo da Design Mecânica, após esta quebra da engrenagem o sistema de injeção eletrônica gera em sua memória o código de falha 1500 ou 1550. Além desta referência, a via de saída do módulo de injeção (ECU) responsável pelo comando do acelerador poderá queimar


Motor
A unidade avaliada é dotada de acelerador eletrônico Delphi, que segundo os reparadores do conselho editorial possui baixa vida útil nas engrenagens internas do motor, que apresentam a quebra e conseqüente perda de aceleração. Devido o grande número de ocorrências do tipo, a Chevrolet passou a disponibilizar em sua rede de concessionárias autorizadas um kit de reparo para que não haja a necessidade da troca do corpo por completo.

Outro ponto considerado como problemático e de difícil acesso se refere à localização da caixa de fusíveis (BCM), que está alojada abaixo da grelha de acabamento dos limpadores de parabrisa. A região favorece o acúmulo de impurezas e umidade nos contatos elétricos. Caso o scanner esteja apresentando códigos inconsistentes, faça a verificação dos terminais da caixa para encontrar possíveis pontos de isolamento, mau contato ou oxidação.

O conselheiro Eduardo Topedo, da oficina Ingelauto, lembra que um defeito comum de aparecer em veículos bicombustíveis está relacionado ao sistema de partida a frio, por causa da deterioração natural da gasolina, que tende a se transformar em goma com o passar do tempo. Quando isso ocorre, o motor elétrico do reservatório chega a engripar, ocasionando a queima do fusível de 5A. Em seguida a luz em formato de automóvel no painel acende e o sistema de injeção automaticamente gera o seguinte código de defeito: ‘bomba de combustível – sistema secundário’. Portanto o reparador deve ficar atento, pois este código o induz ao erro. Todos imaginam que a causa está na bomba elétrica de combustível do tanque principal. Houve casos de alguns colegas que antes de descobrirem este simples defeito, efetuaram erroneamente a substituição de até mesmo mais de uma bomba elétrica.
Outro ponto levantado por Topedo é a dificuldade de remoção do radiador, visto a localização dos suportes e o próprio design da região de alojamento tornar a tarefa um pouco demorada. Portanto, reveja o valor do orçamento praticado em sua oficina para este tipo de serviço caso seja necessário contemplar a remoção da peça.

Segundo o conselheiro Claudio Cobeio, da Cobeio Car, um erro muito comum cometido pelos reparadores é a aplicação incorreta das velas de ignição. “Não é difícil receber clientes com a queixa de alto consumo de combustível, desempenho baixo na fase fria e buracos ao pisar fundo no acelerador. Já tive a oportunidade de pegar carros com o jogo errado. Lembre-se, para os modelos Meriva Flexpower de 1.8 litro (como a avaliada), a especificação correta Bosch é SP1 (F 000 KE0 P01) ou NGK BPR6EY, com 0,8mm de abertura entre o eletrodo central e o massa.

Um defeito comum de acontecer nos Merivas que freqüentam a Cobeio Car é a falha nos conectores da bobina de ignição e do chicote abaixo da bateria, que com o passar do tempo podem apresentar mau contato.

Transmissão
A caixa de marchas que equipa o Meriva avaliado é mecânica de cinco velocidades à frente mais a marcha à ré. O funcionamento estava dentro do normal, sendo que um dos principais motivos da ida do veículo a oficina foi à patinação da embreagem, que depois de removida foi constatada final de vida útil no revestimento do disco.

O kit completo foi substituído (platô e disco), assim como o atuador hidráulico.

O proprietário rclamou de ruídos na região do motor, e uma avaliação criteriosa foi aplicada nos coxins, sendo que o inferior de câmbio apresentou o rompimento da borracha.

Outra reclamação foi a de um ruído semelhante a um ‘tec tec’ ao movimentar a alavanca seletora interna de marchas. Ao analisar o sistema de acionamento foi constatada a quebra parcial da alavanca principal do trambulador, que necessitou ser substituída por uma nova.

Dica
A Cobeio Car tem uma vasta carteira de clientes proprietários de Meriva movidos a GNV (Gás Natural Veicular), e, por isso, o proprietário e conselheiro do jornal Cláudio Cobeio recomenda que antes de passar o veículo na linha de inspeção ambiental veicular deixe o ajuste do gás ‘o mais gordo possível (rico)’, porém dentro do especificado pela norma Conama nº 418. Caso a mistura fique muito ‘fina’, a sonda interpretará mistura pobre o tempo todo, e quando o inspetor realizar a medição dos gases poluentes no combustível líquido, a ECU consequentemente aumenta o tempo de injeção, a um ponto que pode até mesmo reprovar o veículo, por excesso de emissões de CO (monóxido de carbono) e HC (hidrocarbonetos/combustível não queimado)


Suspensão e direção
Reprovada por alguns conselheiros e aprovada por outros, a suspensão do Meriva avaliado estava em boas condições, com exceção das buchas da barra estabilizadora e dos terminais esféricos das bandejas (pivôs) na parte dianteira, que apresentaram folgas excessivas.

Quanto a caixa de direção, algumas oficinas do conselho receberam reclamações a respeito. Para a solução, a troca completa dos terminais e buchas foi necessária.

Dica - Ajuste A/F
Ajuste A/F (aprendizagem forçada): Foi constatado na oficina Design pertencente aos conselheiros editoriais André Bernardo e Carlos Bernardo, que alguns Chevrolet Meriva apresentaram a perda de parâmetro do combustível, ou seja, a ECU não sabia mais interpretar se o combustível injetado era gasolina, álcool ou a mistura de ambos. Para ‘provocar’ o aprendizado desta modalidade de análise, tenha em mãos um scanner automotivo atualizado e faça o seguinte procedimento:
1 – Conecte o cabo do scanner na tomada de diagnóstico localizada abaixo do freio de estacionamento (freio de mão)2 – Acesse a tela ‘Teste’ e em seguida a opção ‘Ajuste’
3 – Selecione ‘Tipo de combustível’ (álcool ou gasolina, a respeitar a quantidade maior que há no tanque principal).
Obs: Dependendo do scanner utilizado haverá a possibilidade de aparecer os números ‘9’ ou ‘14’. Isso significa que a opção 9 representa o combustível álcool (9 partes de ar para 1 de combustível – mistura estequiométrica/ideal), que deverá ser escolhida quando houver 100% de álcool no tanque. A opção 14 representa o combustível gasolina (14 partes de ar para 1 de combustível – mistura estequiométrica/ideal), que deverá ser a escolhida quando houver 100% de gasolina. No caso de houver a mistura de ambos, o reparador poderá escolher qualquer um dos dois, sendo que posteriormente à própria ECU realizará o reconhecimento do combustível inserido no tanque.
4 – Confirme a operação
5 – Desligue a ignição
6 – Aguarde
7 – Ligue a ignição (1º estágio acessórios) e tecle ‘Sim’
8 – Aguarde
9 – Desligue a ignição
10 – Aguarde
11 – Ligue a ignição e tecle ‘Sim’
12 – Operação finalizada

Obs: O procedimento ‘ajuste A/F’ foi realizado com o auxílio do scanner ‘Rasther II modelo TM 531 da fabricante Tecnomotor’. Para outros equipamentos o procedimento poderá ter alguns nomes e etapas diferentes.















 



Cobeio: O rotor da bomba d’água poderá girar em falso perante a polia! Muita atenção, pois como se diz nas oficinas ‘já comi bola’ por causa deste problema. Neste caso o veículo apresenta superaquecimento, e não deixa vestígios de problema algum para o reparador.

Danilo: Por mais de uma vez recebi em minha oficina Merivas com vazamento de óleo lubrificante através do filtro de óleo do motor. No momento da inspeção pude constatar que o material da borracha de vedação cedeu, ocasionando o vazamento. Portanto recomendo que o reparador aplique somente filtros originais AC Delco.
Muita atenção a tubulação plástica do sistema de arrefecimento a qual transpassa acima do motor de partida (na parte de trás do bloco do motor), a qual poderá apresentar trincas e vazamento do líquido de arrefecimento. Assim como esta tubulação, a bomba d’água também apresenta freqüente vazamento através de seu retentor.

Julio: Ao receber um Meriva na oficina com a queixa de ruído na transmissão, verifique o desgaste interno do pinhão, pois já me deparei com carcaças de câmbio desgastadas nesta região.

Paulo: Evite eliminar ou tentar reaproveitar a válvula reguladora do ar quente. Quando a respectiva peça apresenta problemas, o conjunto completo deverá ser substituído.
Na suspensão lembre-se de aplicar apenas componentes originais, visto a durabilidade dos itens paralelos como bandejas e pivôs serem reduzidos.

Torigoe: O corpo de borboletas poderá apresentar ruídos e a quebra da engrenagem interna, e mesmo assim continuar funcionando. Neste caso o reparo poderá ser adquirido em concessionário GM.
O motor também poderá apresentar falta de aceleração gerado por um defeito no sensor de posição da borboleta, que também é comercializado separadamente.
Existem dois modelos de motor de ventoinha do radiador: o comum e com módulo de acionamento acoplado. Tenha atenção no momento do reparo, pois os esquemas elétricos são diferentes!
Caso as travas elétricas apresentem pane, verifique o módulo do alarme localizado próximo ao motor do limpador de parabrisa, o qual é o responsável pelo acionamento.
Se o alarme original disparar sozinho e de maneira intermitente, provavelmente o defeito estará no sensor anti-esmagamento do vidro, localizado na lateral das portas traseiras.
O sistema de fixação da tampa da bomba de combustível é feito por uma abraçadeira metálica que todas às vezes a qual é necessária a retirada da bomba elétrica, necessita ser cortada e substituída.
Tenha muita atenção no momento de substituir as lâmpadas das lanternas traseiras, pois o risco de quebra dos pontos de fixação da lanterna é alto.



Amauri Cebrian Domingues Gimenes - Vicam Centro Técnico Automotivo
(11) 2601-9501 - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Recomendo devido ser um veículo de baixa manutenção, com facilidade de reposição de peças com preço razoável.
ANDRÉ Luis Bernardo - Design Mecânica
(19) 3284-4831 - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
www.designmecanica.com.br
Recomendo, pois acho o espaço interno excelente, assim como a dirigibilidade. Quanto ao conjunto mecânico, acho um pouco fraco para o peso considerável do veículo.
CARLOS Eduardo Bernardo - Design Mecânica
(19) 3284-4831 - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Recomendo devido a ter um bom espaço interno, fácil manutenção e peças a pronta entrega. O motor é muito confiável, porém ultrapassado e que a meu ver não difere muito do Monza.
José Claudio COBEIO - Cobeio Car
(11) 5181-8447 - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
www.cobeiocar.com.br
Recomendo por ter o custo de manutenção razoável perante o preço e categoria do veículo.
Francisco CARLOS de Oliveira - Slito Motores
(11) 2977-1124 - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. - www.stilomotores.com.br
Recomendo por ser confortável e fácil de conseguir peças de reposição, assim como o diagnóstico. Reforço que a Chevrolet está de parabéns pela parceria com os reparadores no sentido de atender bem quando preciso.
Eduardo Topedo - Ingelauto Serviços Automotivos
(11) 3892-8838 - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Recomendo devido ser um veículo de boa aceitação no mercado, com poucas sofisticações tecnológicas, o que resulta em boa funcionabilidade. 
Danilo José Tinelli - Auto Mecânica Danilo
(11) 5068-1486 - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Recomendo, pois é um carro muito bem aceito no momento da revenda e versátil para o dia a dia. Mesmo assim acho a manutenção um pouco cara.
Júlio Cesar de Souza - Souza Car
(11) 2295-7662 - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Recomendo. Saiba que o ponto fraco do Meriva é os coxins do motor e buchas da bandeja dianteira. O lado bom fica perante o custo-benefício, muito atraente para a categoria.
Assim como o meu colega Carlos, gostaria de parabenizar a rede de concessionárias Chevrolet pelo bom atendimento prestado a nós reparadores, assim como o suporte técnico quando preciso por parte dos balconistas e mecânicos, que realmente são parceiros.
Orlando RANIERI Jr.
(11) 5044-1838 - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Recomendo. É um carro de boa dirigibilidade e muito utilizado por taxistas.
Paulo Pedro Bueno Aguiar Júnior - Engin Engenharia Automotiva
(11) 5181-0559 - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Recomendo, apesar de alguns problemas de injeção e suspensão serem comuns de acontecer após certa quilometragem. Saiba que o valor das peças é um pouco alto.
Sergio Sehiti Torigoe - Auto Elétrico Torigoe
(11) 7729-2667 - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Não recomendo pois acredito em outras opções mais atraentes dentro de sua categoria.

Você precisa ser registrado para comentar - Login